A Polícia Civil de Araçatuba, no interior de São Paulo, procura o aposentado Amadeo Arcanjo Domingues, 62 anos, acusado de molestar uma adolescente de 13 anos, e de abusar de outras três garotas - duas meninas de 9 e 11 anos e uma adolescente de 14 anos. Segundo a delegada da Mulher de Araçatuba, Luciana Pistori Frascino, o aposentado era diácono da igreja Assembléia de Deus Independente.

Domingues fugiu na manhã desta segunda-feira, depois que o pai da menina de 13 anos, o motorista Rogério Pereira Alves, o viu molestando a filha na sua casa, no Jardim do Trevo, zona oeste da cidade.

O diácono era vizinho de Alves e aproveitaria a ausência dos pais para entrar na casa e abusar da adolescente. Alves contou que ele e a mulher, que trabalha num frigorífico, saíam de manhã para trabalhar e deixavam a filha cuidando do irmão menor, de 3 anos, que ela levava à creche antes de ir para a escola, por volta das 12h. "Ele (Domingues) era vizinho e aproveitava esse tempo para entrar na casa e molestar a garota", contou a delegada.

Na manhã desta segunda-feira, Alves foi dispensado do trabalho, numa usina de álcool, e voltou mais cedo para casa. "Quando chegou, pegou o diácono de surpresa molestando sua filha", contou a delegada.

Alves disse que primeiro pensou em matar o diácono, mas depois tentou segurá-lo. "Não consegui retê-lo porque tive de socorrer minha filha e ele aproveitou para fugir", contou Alves.

Segundo a delegada, até as 17h o aposentado não havia sido localizado. Ele mora com um filho, de 17 anos. "Não sei o que aconteceu, acordei com o tumulto e agora ouvi dizer que meu pai tentou estuprar a menina aqui do lado. Não sei onde ele está nem o que vou fazer", contou o garoto.

Exames de corpo de delito confirmaram que a garota foi molestada. Segundo a delegada, a adolescente contou que outras meninas do bairro foram abusadas. Chamadas, as garotas confirmaram os abusos.

"Elas disseram que eram ameaçadas de morte e recebiam pequenos presentes e doces para ficar com o acusado", disse a delegada. Segundo ela, há mais de um ano o diácono aliciaria as crianças do bairro. "Mas o ato sexual ele começou a praticar de dezembro para cá", contou. "Vamos continuar investigando a ação desse criminoso lá no bairro."

Responsável pela Igreja Assembléia de Deus Independente, onde o aposentado era diácono, o pastor João Neves do Nascimento disse que foi surpreendido pelos fatos. "Ainda custo a acreditar", disse. Segundo ele, o aposentado será excluído da igreja, caso tente voltar freqüentá-la.