91fb6f15 6776 43f9 8062 d69204ee87b0

Preocupados com a saúde dos produtores de fumo de Arapiraca, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em ação conjunta com a Secretaria Municipal de Saúde do Município realizaram, nesta quarta-feira (08), visitas a propriedades de produtores de fumo na Vila Bananeiras, localizada da área rural da cidade. Visando conhecer a relação dos fumicultores com algumas doenças, o grupo traçou um minucioso mapeamento da comunidade.

Durante o mês de julho, a fundação desenvolveu um projeto piloto de atendimento aos cultivadores do fumo atendidos na zona rural e avaliou a situação deles após os dados coletados. Nesta quarta (08), a equipe da Fiocruz estudou os agravos que os fumicultores da Vila Bananeiras sofrem em decorrência do processo produtivo para que as Unidades Básicas de Saúde (UBS), através do Sistema Único de Saúde (SUS), possam intervir.

Para o tecnologista em saúde pública da Fiocruz, Marcelo Moreno, o protocolo proposto pela instituição busca intervir no trabalho para melhorar o processo. O propósito da iniciativa foi atualizar o primeiro levantamento já aplicando o protocolo relacionado a saúde dos analisados. Foram analisados trabalhadores em campo e destaladeiras em salões.

“Começamos com a pesquisa em 2013 em um município do Paraná e, após o estudo, analisamos que o Brasil precisa de um protocolo de atenção integral a essa população que hoje vive do cultivo do tabaco. Buscamos orientar as ações do Sistema Único de Saúde para ter um olhar específico para a saúde dessa população. Detectamos aqui a doença da folha verde do tabaco, distúrbios musculares, intoxicações, a exemplo das tonturas e vômito, relatadas pelos avaliados”, declara o tecnologista em saúde pública da Fiocruz.

“Iniciamos as visitas aqui em Arapiraca em junho e as unidades de saúde estão se envolvendo e tem sido uma experiência muito interessante. Os profissionais da Saúde do município estão de parabéns”, conclui Marcelo Moreno.