69faa93f efec 4f92 9df4 90aac57d54fe

Com a proposta de discutiram estratégias, visando conscientizar a população sobre a realidade do suicídio, como também  deliberar objetivos e metas para criação de políticas públicas de prevenção ao problema, gestor@s do Governo do Estado de Alagoas e representações dos movimentos sociais se reuniram  na  tarde da segunda-feira,16/07, no gabinete do Secretário de Estado da Saúde, em Alagoas.

A reunião, articulada pelo Instituto Raízes de Áfricas é o resultado das conversas de proximidade com o gestor da pasta da saúde.

Iniciando as falas, o secretário Christian Teixeira, afirmou que: "A  gestão da  saúde do estado está  compromissada com a ações técnicas que traduzam resultados eficazes e eficientes para a prevenção."

 O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo.

Segundo a capitã Viviane Suzuki: "O momento significativo traduz a necessidade da colaboração,  proximidade e diálogo entre os pares para que a ação se legitime. E parabenizou o Instituto Raízes de Áfricas pela iniciativa."

A relevância da pauta foi o Curso de Atendimento as Tentativas de Suicídio, realizado este mês pelo Corpo de Bombeiros, como  capacitação para  bombeiros e profissionais de diversas aéreas de saúde.

O Comandante Adriano Amaral, comandante Geral do Corpo de Bombeiros reafirmou que: 'Reuniões como estas são ações integradas que possibilitam a  multiplicidade de idéias  e  substantiva a efetivação do Curso capitaneado pelo Bombeiros, em diversos espaços sociais."

O suicídio mata 800 mil pessoas por ano- disse o Jack Viana, subcomandante operacional de Bombeiros na Região Metropolitana- e o Curso do Bombeiro traz uma abordagem técnica, gerando empatia e o  diálogo.

Temos números alarmantes em relação ao suicídio- relata o promotor Paulo Henrique e o Ministério Público, como uma das instancia-voz social tem o  papel de fiscalizar e proteger os princípios e interesses fundamentais da sociedade e estamos a disposição de uma pauta tão cara.

Flávio Cansanção, da ONG Pró Vida, reafirmou a necessidade de envolver especialistas psicólogos e psiquiatras no processo.

Precisamos promover uma coleta de dados a partir dos nossos relatórios internos para um trabalho mais  abalizado- disse o secretário executivo das açõs de saúde da SESAU,Paulo Teixeira.

Após, as conversações acatou-se o  consenso de  que o curso protagonizado pelo Corpo de Bombeiros,  seja um marco divisor para que cada órgão no estado, participe dando sua contribuição, delimitando sua área de responsabilidade.

Na ocasião foi formado o Comitê Intersetorial de Prevenção às Lesões e Mortes Auto Provocadas para o qual serão convidados representações de diversas secretarias estaduais e como representações do movimento social participam o Instituto Raízes de Áfricas (mobilização negra) e ONG Pró Vida (representação LGBTQI).

Arísia Barros propôs a participação do Centro de Valorização da Vida, no referido Comitê.

Encerrado os trabalhos, Christian Teixeira agradeceu a participação e exaltou uma célere continuidade do calendário das ações.

Participaram da reunião SESAU, Corpo de Bombeiros, ( Virginia Bugarim e Mariana Gomes) pela SEADES,Ministério Público, Instituto Raízes de Áfricas,Jade Soares,ONG Pró Vida.

Fotos cortesia: Flávio Cansanção