Cortesia / Secom Maceió C2e22a3d b5ff 4e7d a4d1 6d5569e9f9d2 Fellipe Mamede
Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Governo Federal, divulgados no ano passado, mostraram que a média nacional de salários dos professores de escolas públicas (federais, estaduais e municipais) é de R$ 3.335,06, enquanto que a de salários de professores de escolas privadas é de R$ 2.599,33, uma diferença de 22,1% para a carga horária semanal de 40 horas. O salário dos professores em Maceió segue a média nacional, e ultrapassa o salário pago pelo Estado, esclarece o secretário municipal de Gestão, Reinaldo Braga.
 
“Os professores estaduais iniciantes  recebem, atualmente, pouco mais de R$1.500 por mês com carga horária semanal de 20 horas, por exemplo. Para esse mesmo perfil de servidor, o município de Maceió oferece como salário inicial R$1.784,19, cerca de 20% acima. Além disso, a Prefeitura de Maceió ainda oferece benefícios como o anuênio, automaticamente, e a progressão por mérito, na qual a cada dois anos o servidor recebe um ganho salarial de 5%, em um dos melhores Planos de Cargos e Carreira do país", afirmou o secretário de Gestão.
 
De acordo com o secretário municipal de Economia, Fellipe Mamede, é uma preocupação da gestão do prefeito Rui Palmeira manter salários condizentes com a realidade não só local como nacional, além do pagamento da folha salarial em dia. 
 
“Nos últimos anos, mesmo com todo o cenário de crise do País, buscamos encontrar soluções que atendessem às expectativas dos nossos servidores sem perda da segurança de continuar administrando a cidade com responsabilidade. A média de ganho salarial do servidor municipal de Maceió é de 6,34% a.a, considerando os anos de 2013 a 2018. Já quando se somam benefícios como reajustes, Planos de Cargos e Carreiras e o Estatuto do Servidor, esta média sobe para 7,39%, em seis anos. Isso engloba não só os profissionais da Educação, mas de todo o Município. Desde o início da gestão, nunca atrasamos salários e honramos com esse compromisso todos os meses, às vezes, com muito sacrifício”, destaca. 
 
Os servidores tiveram um ganho acumulado de 26,5%.  Em 2013, a Prefeitura concedeu reajuste de 9%; em 2014, 7% para servidores administrativos e 8,32% para servidores do magistério (um reajuste diferenciado para os professores); em 2015, 6%, e em 2016, 4,5%. 
 
Dados da Prefeitura de Maceió mostram que o Município emprega mais de 100% dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para a manutenção da folha do magistério. Ou seja, o Tesouro Municipal precisa utilizar ainda mais recursos próprios para conseguir pagar a folha, comprovando a queda nos repasses do Governo Federal.
 
Quando comparado à rede privada, a realidade continua a mesma. A Prefeitura paga mais de R$ 22 por hora aula para professores que estão iniciando a carreira, um valor semelhante ao praticado na rede privada para Ensino Fundamental, nas escolas que melhor pagam no Estado.
 
A secretária municipal de Educação, Ana Dayse Dorea, apresenta ainda o “Difícil Acesso”, outro benefício oferecido pela gestão municipal para todos os profissionais que trabalham em uma das 42 escolas localizadas em rua não pavimentada; em terreno alto, que só permita acesso através de escadas ou ladeiras não pavimentadas; em localidades servidas por uma linha de ônibus coletivo regular ou que estejam situadas a mais de 500 metros da parada mais próxima de transporte coletivo regular. “Todos que se encaixam neste perfil tem direito a R$165 de gratificação. O benefício atende a uma demanda de oito anos dos servidores da Educação”, esclarece a gestora.