86ccd01e eca6 4c44 88c1 bde3ab7faed7

Com a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Tabuleiro do Martins, onde atualmente funciona o Ambulatório 24 Horas Assis Chateaubriand, o atendimento passará a ocorrer, a partir desta quinta-feira (28), em estabelecimento ao lado do Banco Bradesco, após a entrada da Bomba do Gonzaga.

De acordo com Eva Rodrigues, diretora do Assis Chateaubriand, até quarta-feira (27) deve ser concluída a mudança de mobiliários e toda parte administrativa para que, no dia seguinte, os atendimentos sejam iniciados. A perspectiva, segundo ela, é que no novo local sejam assistidas cerca de 280 pessoas por dia.

“Para a assistência não ser prejudicada, durante o período de mudança, na quarta e quinta-feira será montada uma tenda em frente ao ambulatório onde uma equipe estará à disposição da população, orientando sobre o novo local e realizando os atendimentos mais urgentes, juntamente com três ambulâncias - sendo uma do ambulatório e duas do Samu 192. Nos casos mais graves, os pacientes serão atendidos pela equipe da USA [Unidade de Suporte Avançado] e encaminhados para o HGE, que é a nossa referência. Já nos casos menos graves, eles serão orientados e encaminhados para as UPAS do Benedito Bentes ou Trapiche da Barra”, disse.

Investimento da UPA – A obra, no valor de R$ 5,4 milhões, será custeada com recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Fecoep). A previsão da conclusão é de 120 dias, contados a partir do início da execução dos serviços. A unidade irá assegurar atendimento intermediário entre a Atenção Básica e Alta Complexidade.

A UPA do Tabuleiro do Martins será do tipo III e vai ter capacidade para atender até 350 pacientes por dia e 10.500 por mês. Ela será dividida em leitos de observação e de urgência, nas áreas de clínica geral, pediatria, ortopedia e odontologia. O equipamento vai dispor do serviço de classificação de risco, sala de nebulização, consultórios, salas de gesso, laboratório, exames de raios-x e eletrocardiograma.

Em relação aos servidores que trabalham no Assis Chateaubriand, eles serão deslocados, durante a reforma, para atuar na unidade onde os serviços do ambulatório serão disponibilizados. Com a conclusão da obra, eles irão migrar para a nova UPA, sem nenhum prejuízo.