7b2ff676 fc10 4bcb b53b 9c7232f69f81

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) constatou total precariedade das condições estruturais da delegacia de Jacuípe. A fiscalização foi realizada nesta quinta-feira (21) e a informação foi divulgada nesta sexta (22). 

O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, 1° Secretário,  Bartolomeu Rodrigues, e o 3° Conselheiro de Ética Etélio Charles Malta de Pontes estiveram no município de Jacuípe, e registraram o sucateamento e abandono da delegacia.

Paredes com rachaduras que ameaçam a qualquer momento desabar, além da infestação de escorpiões e o aparecimento de cobras do tipo jararaca.  Se não bastasse todo o risco iminente aos policiais civis, há acúmulo de materiais apreendidos. 

O prédio da delegacia, que também abriga a Polícia Militar, fica próximo ao rio e um matagal, que contribuem na proliferação de insetos e mosquitos. As paredes estão com infiltrações e mofos. O ambiente de trabalho é precário e apresenta condições insalubres.

O Sindpol irá oficializar à Secretária de Segurança Pública e à Delegacia Geral da Polícia Civil, que tomem as devidas providências e retirem os policiais dessa situação caótica e absurda. 

"O Sindpol entende que essa situação agrava ainda mais a falência da Polícia Civil de Alagoas, o que resulta no aumento da criminalidade, que a população vive amedrontada, e os bandidos que lucram com o abandono da instituição", revela o Ricardo Nazário. 

"É necessário que o Governo do Estado compreenda o cenário deplorável que se encontra a polícia civil para que haja mudanças significativas à segurança pública".

O Sindpol está denunciando a precariedade, a falta de estrutura, falta de efetivo e o sucateamento crônico pelo qual atravessa a Polícia Civil. "Diversas denúncias já foram feitas sobre as péssimas condições de trabalho enfrentadas pelos policiais civis no cumprimento das suas atribuições".

*Com Sindpol