684c4370 4e38 42c2 8120 625519098e99 Tibério Rocha Júnior e João Amoêdo

O Partido Novo em Alagoas pretendia – conforme informações de bastidores – participar do processo eleitoral desse ano no Estado em duas frentes: lançar candidatos ao Senado Federal e a deputado federal.

O nome para o senador seria o do consultor Tibério Rocha Júnior. Para a Câmara de Deputados, o Novo pretende ter dois postulantes: a advogada Maria Tavares Ferro e o empresário na área de Educação, Adelmo Assis.

Todavia, o processo de decisões de candidaturas do Novo é conjunto e alinhado com o partido no âmbito nacional. Após avaliações de cenário, a agremiação deve estar no pleito sem qualquer coligação, mas com candidaturas avulsas, já que não terá chapa completa.

Com isso, aumenta ainda mais o desafio da legenda. Tibério Rocha Júnior deixa de ser um pré-candidato ao Senado Federal para se juntar ao time do partido que disputa as cadeiras da Câmara de Deputados.

Com isso, Adelmo Assis, Maria Ferro e Tibério Rocha são os três nomes do Novo para Brasília. Todos – repito – disputando o mesmo cargo. O desafio é o trio conseguir mais de 160 mil votos para eleger o mais votado entre os três.

Tibério Rocha se diz confiante. De acordo com ele, a campanha será pé no chão, com poucos recursos e utilizando redes sociais.

Com um perfil liberal, o Novo deve centrar na discussão econômica do país, como a redução de carga tributária e cortes de gastos na máquina pública.  

PSL

Ainda no campo da direita alagoana, quem também entra em cena é o PSL, que é comandado pelo agente da PF, Flávio Moreno. Moreno deve disputar o Senado Federal. Além dele, Josan Leite entra para disputar o governo do Estado. O partido – que tem o apoio do presidenciável Jair Bolsonaro, por ser a sua legenda – também apresentou uma lista de nomes para os cargos de deputado estadual e deputado federal.  

Estou no twitter: @lulavilar