Agência Brasil Dabbda03 917a 4fb9 93cf bdda57fdb6d1 Renan e Quintella, pré-campanha para o Senado

A eleição do deputado federal Maurício Quintella Lessa ao Senado Federal não é fácil. Rivais no pleito, ele possui. A disputa por uma das vagas será árdua, já que os dois senadores de mandato – Benedito de Lira (PP) e Renan Calheiros (MDB) – buscam renovar suas cadeiras e ainda surgem outros nomes como o do também deputado federal Marx Beltrão (MDB) e o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB).

Além destes, que são os mais cotados nas pesquisas, há os nomes de Flávio Moreno (PSL) e Omar Coêlho (Podemos). Outros ainda podem surgir.

Todavia, já de largada, Quintella conseguiu um feito no mínimo interessante: migrou da oposição esfacelada (sem deixar arestas) para a situação comandada pelo governador Renan Filho (MDB) e o senador Renan Calheiros (MDB).

Ele se tornou o “segundo nome” do Palácio República dos Palmares, mas não perdeu espaços políticos dentro da Prefeitura Municipal de Maceió, onde mantém um bom trânsito com o prefeito Rui Palmeira (PSDB).

Quintella consolidou sua candidatura ampliando espaços nos quais pode trabalhar politicamente. Além disso, conseguiu emplacar a continuidade de seus projetos no Ministério dos Transportes ao deixar a pasta para se candidatar.

O deputado federal conseguiu unir a esfera estadual, municipal e federal e se apresentar no pleito longe de qualquer artilharia que possa existir contra ele.

É um feito. Se isso vai se traduzir em votos ou não, aí é com o processo eleitoral...

Como muitos dos que disputam o Senado Federal devem mirar em Renan Calheiros, nem mesmo as confusões entre o Palácio República dos Palmares e o pré-candidato Marx Beltrão, que deveria estar na vaga que hoje é de Quintella, atingiram o postulante do PR. Se a coisa continuar assim, Quintella vai à campanha para defender sua biografia e apresentar suas propostas.

Ele ainda poderá contar com “elogios” já postos pelo prefeito Rui Palmeira e pelo governador Renan Filho, além de ter Renan Calheiros pedindo votos para ele. Com discrição, Quintella construiu para si o “melhor dos mundos”. Claro, isso não garante vitória, pois é preciso “combinar com os russos”, como se diz no jargão político. Todavia, não deixa de ser um cenário curioso.

É o mesmo Quintella que já fez críticas duras a Renan Filho. É o mesmo Quintella que foi um dos maiores articuladores da oposição. É o mesmo Quintella que – ao perceber que o barco da oposição afundava – saltou da arca sem levar consigo sequer um mísero casal dessa fauna. Levou apenas a si mesmo, mas deixando na administração municipal seus aliados e abocanhando no governo do Estado uma das mais importantes pastas: a Infraestrutura.

No somatório, Quintella é o pré-candidato que mais teve “plus” no período pré-eleitoral. O que ainda é melhor? Não estará em um palanque que o obrigará a defender o candidato presidenciável de Michel Temer (MDB). Afinal, todos sabem o quanto Temer sofre com a opinião pública. Um exemplo disso é que, na questão dos caminhoneiros, Quintella – o ex-ministro – foi tudo, menos um governista.

Na televisão, o pré-candidato ao Senado Federal ainda poderá se apoiar em temas que movimentam a opinião pública, como sua posição favorável à derrubada do Estatuto do Desarmamento, redução da máquina pública, privatizações, dentre outros... Quintella não perdeu o bonde das discussões do país e soube se posicionar nelas. Em outras palavras, é uma inteligência política que não pode ser desprezada. Afinal, consegue ser contrário ao estamento sem brigar com ele...

Estou no twitter: @lulavilar