Fotos: Reprodução 1b7e6ce5 162b 44fd 9c96 7985ae49fdcf

Integrantes da ONG de defesa animal Pata Voluntária denunciaram que três mulheres voluntárias da entidade foram agredidas por convidados que participavam de uma festa de aniversário infantil, onde passarinhos engaiolados estavam sendo distribuídos como “lembrancinhas” e usados como brinquedos pelas crianças.

 

Conforme a denúncia divulgada ontem, 22, pela ONG, alguns dos próprios convidados da festa, que aconteceu em um salão da capital, ao se depararem com os pássaros dentro de gaiolas “personalizadas”, usadas como decoração das mesas, resolveram acionar a Pata Voluntária.

 

O caso também foi encaminhado para a Comissão de Bem-Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Alagoas (OAB/AL).

 

 

“Chegando lá alertamos o responsável que a situação em que os animais estavam ali era maus-tratos, sempre de maneira discreta e respeitosa, levando em consideração o ambiente com crianças. Perguntamos se seria possível resgatá-los o que foi negado”, narrou a ONG nas redes sociais, acrescentando que, vários homens “se dizendo advogados”, ameaçaram e agrediram – física e verbalmente – as voluntárias.

 

Ainda conforme o relato, o grupo também tentou tomar o celular das mãos das vítimas, empurrá-las, gritar e até colocaram um veículo em cima delas, que tentavam registrar a placa para formular um Boletim de Ocorrência.

 

“Fomos cercadas por mais de 15 pessoas, todas nos agredindo fisicamente e verbalmente, fazendo vídeos debochando da gente e dos animais... Ligamos várias vezes pro 190, mas não tivemos resposta. Teve uma hora que fiquei sendo empurrada de um lado pro outro em uma rodinha com vários homens”, relatou uma das vítimas.

 

Nesta quarta-feira, 23, a ONG informou que a presidente da Comissão de Bem-Estar Animal da OAB/AL, Rosana Jambo, já está adotando as medidas cabíveis para averiguação e punição por maus-tratos a animais.

 

Temor

 

Em nova postagem na página oficial da Pata Voluntária, no Facebook, a ONG explicou que, em nenhum momento, o dono da festa agrediu as voluntárias: “Houve respeito de ambas as partes. Fomos agredidas pelos convidados da festa que desde o primeiro momento gritaram, ameaçaram, nos intimidaram e zombaram dos animais”.

 

As voluntárias não conseguiram resgatar os animais que, segundo testemunharam, “foram tratados como objeto, sem água, sem comida, em ambiente fechado com música, totalmente descartáveis assim como a decoração de toda festa...  O dono da festa não nos agrediu, o erro dele é para com a situação desses animais que dentro da lei é considerada como maus-tratos”


No mesmo post, as voluntárias relataram ainda o medo de represálias por parte dos agressores, que as filmaram e fotografaram: “São advogados, muitos com familiares em cargos altos e influentes no meio judiciário e político. Se a justiça será feita não sabemos, mas lutaremos até o fim pelos animais e dessa vez pela gente também”.

 

Veja o vídeo divulgado nas redes sociais: