Lisa Gabriela/CadaMinuto Eb9559f2 8993 44be 96b3 710f04a3bf3a Assembleia Unificada realizada na manhã desta segunda-feira (21)

O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) anunciou, em uma Assembleia Unificada realizada na manhã desta segunda-feira (21), que a categoria irá paralisar as atividades por 48h. Segundo presidente do Sindspref, Sidney Lopes, a intenção do ato é chamar a atenção da prefeitura, que não quer negociar. Caso não haja nova proposta, uma greve geral deverá ser deflagrada no dia cinco de junho.

A paralisação ocorrerá nos dias 28 e 29 de maio. Após a reunião desta segunda, os servidores saíram em uma caminhada até a Secretaria de Finanças, no centro de Maceió.

De acordo com Sidney, o reajuste de 0% oferecido pela prefeitura não condiz com as reais necessidades da categoria. “O prefeito está acostumado a dizer que está com as portas abertas, mas nunca vi querer negociar oferecendo zero de reajuste. Essa proposta não condiz com as necessidades dos servidores. Tudo aumentou, inclusive os impostos da prefeitura. Queremos uma negociação justa” afirmou ele.

No dia 4 de junho deverá acontecer uma nova reunião com o secretário de Finanças e as categorias prometem uma vigília na porta do órgão a partir das 16h. No dia 5, eles fazem uma assembleia para avaliar o que for proposto na reunião.

“Se dia 4 não sair nenhuma nova proposta de reajuste, dia 5 nos reunimos para deflagrar a greve geral” explicou o presidente.

Leia Mais: Para Rui Palmeira greve geral dos servidores não será surpresa

Última Greve

Apesar do Sindispref cumprir todos os dispositivos legais para a Greve Geral realizada em junho de 2017, o Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) decretou sua ilegalidade. O advogado do sindicato, Alfredo Barros, explica que na visão do TJ/AL o sindicato estava fazendo reivindicações válidas e que cumpriu todos os requisitos exceto um, que foi o de comunicar a sociedade sobre a data da greve.

“Apesar de constar nos autos dois pareceres do Ministério Público no sentido de entender que houve o cumprimento integral de todos os requisitos para deliberação da greve e de comprovar a publicação de matérias jornalísticas e eventos como carreatas para divulgar o movimento; o TJ/AL entendeu que a comunicação teria que ser mais ampla e que a população foi pega de surpresa”, esclarece Alfredo.

 De acordo com Sidney Lopes este ano a Greve Geral terá atenção redobrada aos detalhes das imposições legais, para que o servidor não seja de nenhuma forma prejudicado. “Todos os requisitos estão sendo feitos para que o nosso direito ao reajuste salarial não seja de nenhuma maneira impedido pelos poderes executivo ou legislativo”, observa o presidente do Sindspref.

*Estagiária