29cac341 ad5c 423e 98ec b6a72848f2ef

É, lá vou eu! Mais um ataque em uma escola, desta vez no Texas, com oito ou dez jovens mortos por um adolescente de dezessete anos que entrou atirando em colegas, professores e funcionários sem que ninguém pudesse fazer nada. Mais uma vez o ataque ocorreu em um local definido como gun-free zone, ou seja, um local onde ninguém – nem mesmo policiais ou seguranças treinados – pode entrar ou permanecer armado, a não ser em casos de emergência, mas aí é sempre tarde demais. A politicamente correta ideia de que ninguém quer pessoas armadas na escola de seus filhos vigora em praticamente todos os estados americanos e, acreditem, aqueles dispostos a matar quantos conseguir não respeitam essa lei, da mesma forma que não respeitam as restrições impostas a posse e ao porte de armas por idade, saúde mental ou por histórico de violência e crimes.

Quantas vezes você viu, leu e ouviu notícias sobre esse ataque só hoje? Impossível contar, não é mesmo? E sobre o ataque à escola em Illinois? Viu alguma coisa? Faça o teste que eu fiz, digite no Google “tiroteio” e “Texas” e achará algo em torno de 200.000 páginas! Agora digite “tiroteio” e “Illinois”… Fez? Achou algo em português publicado por alguma grande mídia? Nada! Nem uma única linha aparecerá. A explicação é simples e constrangedora: um oficial armado, dentro da escola, baleou e impediu um massacre que seria perpetrado por um ex-aluno, que a mãe classificou como “um bom menino”(1). Na prática, quando não há corpos empilhados e sangue de inocentes alagando os corredores, não há interesse na imprensa brasileira, afinal, como assim uma arma em boas mãos pode evitar tragédias? Melhor é mostrar apenas e tão somente como armas podem ser usadas para matar crianças e, assim, embasar a narrativa de que armas são sempre ruins, varrendo para baixo do tapete, por exemplo, que armas de fogo são usadas em média 2,5 milhões(2) de vezes por ano em solo americano.

                Greg Abbott, governador do Texas. 

Cada vez que um caso assim acontece a turba histriónica sai gritando: “Armas! Armas! O problema são as armas!”. Nada mais falso! Se o problema fosse a simples presença de armas, países como a Suíça, Finlândia e Canadá(3), ou até mesmo nossos vizinhos Paraguai(4) e Uruguai, todos com grande quantidade de armas nas mãos da população, sofreriam também com tais ocorrência. E não é isso o que acontece, mostrando que o problema é muito mais profundo e passa por uma série de quesitos, tais como a política psiquiátrica nos Estados Unidos, famílias desestruturadas e, claro, a discussão, cada vez mais presente, de que manter as atuais gun-free zones não impede esses ataques e, pior de tudo, garante que ninguém estará lá, armado, treinado e pronto para impedir o assassino. Não há opção: ou se vive no mundo utópico de malucos que seguem a lei ou se encara o mundo real, aprendendo de uma vez por todas que não existe proteção na negação.

 

                Ana Paula Henkel

P.S.: Após a publicação deste artigo recebi um áudio da querida amiga Ana Paula Henkel, a Ana Paula do Vôlei, que havia acabado de ouvir uma entrevista do governador do Texas, Greg Abbott para o radialista Mark Levin onde afirmava que em visita à escola vitimada pelo ataque, muitos alunos vieram falar com ele pedindo mais segurança. Não, eles não pediam mais controle de armas ou maiores restrições, o que eles pediram é que os professores ou os funcionários da escola pudessem portar armas. Relatou também a conversa com um dos professores que é Former Marine, ou seja, um Fuzileiro Naval e, portanto, com farto treinamento no uso de armas e combate armado. Entre outras coisas afirmou categoricamente que se ele pudesse estar com a sua arma poderia ter intervindo e ajudado a cessar o ataque.

Fica aqui meu agradecimento para Ana Paula que nos trouxe tão importante infomação, informação que, óbvio, você não verá em nehum lugar. Deixo aqui o meu veemente convite para aqueles que ainda não conhecem que visitem a coluna dela no jornal Estadão

 

  1. Illinois officer shoots, wounds armed suspect at high school https://www.reuters.com/article/us-illinois-shooting/illinois-officer-shoots-wounds-armed-suspect-at-high-school-idUSKCN1IH20Z

 

  1. Governo escondeu pesquisa sobre uso defensivo de armas nos EUA http://www.cadaminuto.com.br/noticia/320316/2018/05/07/governo-escondeu-pesquisa-sobre-uso-defensivo-de-armas-nos-eua

 

  1. Canadá: o país “esquecido” pelos desarmamentista http://www.cadaminuto.com.br/noticia/304433/2017/05/27/canada-o-pais-esquecido-pelos-desarmamentistas

 

  1. Como o Paraguai destrói toda a argumentação desarmamentista usada no Brasil http://www.ilisp.org/artigos/como-o-paraguai-destroi-toda-a-argumentacao-desarmamentista-usada-no-brasil/