1229ff5c e4c8 46d5 ad7a 09a75d5843a6

O deputado federal Marx Beltrão (PSD) viabilizou a assinatura de convênio no valor R$ 2 milhões, que vai permitir a modernização do parque energético da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), de suas unidades assistenciais e melhorar a qualidade dos serviços prestados à população. O evento reuniu o reitor da Uncisal, Henrique Costa, e o presidente da Eletrobras, Adjar Barbosa.  Três grandes hospitais serão beneficiados: a Maternidade Santa Mônica, os hospitais Hélvio Auto e Portugal Ramalho,  e o prédio sede da universidade. 

De acordo com o reitor professor Henrique Costa, o convênio consiste na destinação de recursos da Eletrobras para financiamento de equipamentos que possibilitem melhor eficiência energética. A medida deve garantir mais qualidade, gerar economia para a universidade e assegurar que equipamentos não sejam danificados por quedas de energia na região.

“Temos uma população imensa aqui na instituição entre servidores, estudantes e profissionais da saúde. Os hospitais que serão beneficiados. Esse projeto abarca uma população que passa de 7 mil pessoas de trabalhadores e que fazem o dia a dia da instituição. Além das pessoas que atendidas pelos serviços, é uma população muito grande, até maior que muitos municípios de Alagoas. Era um sonho e estamos muito felizes. Está acontecendo de uma forma muito rápida, quero agradecer ao deputado federal, Marx Beltrão, esse cuidado com a Uncisal”, afirmou o reitor. 

Em visita recente à instituição, o parlamentar Marx, tomou conhecimento da demanda, em parceria com a Eletrobras garantiu o empenho dos recursos, para atender a necessidade de melhorias estruturais na rede elétrica.  “Será um grande avanço não só para o prédio-sede, mas também para as unidades assistenciais que compõem a unidade, que serão beneficiadas com as ações. O resultado de todo esse trabalho vai beneficiar as pessoas que mais precisam de atendimento nesses hospitais. Com a modernização sanar os problemas elétricos e gerar economia de energia”, concluiu Marx Beltrão.