A707cce1 f0fe 41c1 b699 e4f01c0a04d6

 Há mais de 14 anos anos à espera do pagamento de uma verba indenizatória, no valor de R$ 139 milhões, dos quais R$ 106 milhões já foram utilizados pela prefeitura, os professores da rede municipal de ensino de Arapiraca voltam a se reunir nesta terça-feira (8)

A verba é referente a perdas salariais do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) – hoje Fundeb.

Advogados e diretores do Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Alagoas (Sinteal) estarão na cidade de Arapiraca, no período da tarde, no Clube dos Fumicultores, para orientar os professores acerca da ação que tramita na Justiça.

As perdas foram registradas no período de 1998 e 2006. O dinheiro do governo federal só saiu por determinação da justiça, no ano de 2016.

A Prefeitura de Arapiraca moveu uma ação e ganhou o direito de receber o valor integral é de R$ 139 milhões.

A gestão municipal investiu R$ 106 milhões em obras públicas, mas o Sinteal entrou com uma liminar na Justiça e conseguiu bloquear os R$ 33 milhões restantes da verba indenizatória do antigo Fundef.

A categoria, por meio da sua representação sindical, que tem à frente o professor André Luiz da Silva, entende que o dinheiro deveria ser usado repassado aos trabalhadores da Educação municipal. O pedido tem respaldo em decisão do Ministério Público Federal, que no final do ano passado, fez uma intermediação com representantes de seis municípios alagoanos para o repasse de 60% dos recursos desses precatórios sejam diretamente aos professores.