Foto: Reprodução / Redes Sociais E7255903 ffd2 446c 893e e20ca0ed7e8e Imagem do suposto veículo utilizado pelos criminosos circula nas redes sociais.

Familiares de Warlan Maxsuel, ex-proprietário do veículo cujas imagens foram divulgadas nas redes sociais, como o utilizado pelos criminosos no assassinato do prestador de serviços da Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão (Seris), na manhã desta sábado, 21, procuraram a redação do CadaMinuto para esclarecer que o carro não pertence ao nome em que está registrado desde 2016.

Conforme informação passada pela família, Warlan vendeu o veículo há dois anos. A pessoa que comprou o carro também já o passou adiante, mas, desde a venda do mesmo não transferiu o documento do veículo para o seu nome.

Segundo o advogado de Warlan, Thiago Sampaio, o jovem já entrou em contato com o comprador do carro, na época, e uma declaração de venda já foi providenciada. Ele também acionou a Polícia Civil e se colocou a disposição para esclarecer o fato.  Conforme marcado, Warlan será ouvido no dia 27 de abril.

Ainda segundo o advogado, a preocupação da família de Warlan é a relação indevida, e falsa, do seu nome e imagem relacionados, de alguma forma, ao crime.  Visto que ele é inocente e já não possui mais o veículo. Além de esclarecer, impedir a propagação da mentira  e preservar a integridade física do jovem.

O veículo

De acordo com informações policiais, o veículo utilizado pelos criminosos para assassinar o prestador de serviço da Seris, Samuel Freitas Cavacante, 53 anos, na manhã deste sábado, no Eustáquo Gomes, é um  Fiat Uno, modelo antigo de cor azul. 

Ainda segundo a polícia, testemunhas informaram que o carro estava em mau estado de conservação, com reparos aparentes. 

Logo após o crime, imagens do suposto veículo foram divulgadas nas redes sociais. Uma consulta a placa MUM 7665, permitiu a identificação do proprietário. No entanto, o carro não pertence mais a pessoa cujo nome consta no registro.

A polícia segue realizando buscas no intuito de localizar e prender os suspeitos do crime.

*Estagiária