Foto: Reprodução 84f03755 b213 40bb 8460 ba9ab59af524

O pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) deve julgar nesta terça-feira, 17, o pedido do Prefeito de município de Mata Grande, Erivaldo de Melo Lima, o Erivaldo Mandú (PT), para retornar ao cargo. Ele foi afastado e preso após a descoberta de um esquema de 'mensalinho' pago a vereadores da cidade, que teve um vídeo vazado e amplamente divulgado nas redes sociais no início de abril.  

Erivaldo Mandú foi preso em dezembro de 2017 acusado de corrupção, mas foi solto em janeiro e utiliza tornozeleira eletrônica. De acordo com a denúncia, Mandú contratava empresas através de licitações fraudulentas.

No vídeo, o então prefeito aparece, junto com seu secretário, pagando propina aos vereadores Joseval Costa e Teomar Brandão. A propina era paga que os vereadores apoiassem e aprovasse projetos na Câmara Municipal.

O procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, declarou em entrevista a TV Ponta Verde, que as provas acostadas nos autos mostram que o prefeito de Mata Grande praticou crime de corrupção e que o Ministério Público Estadual (MPE/AL) está buscando a punição. “Tudo indica que a impunidade irá acabar em relação a esse malfeito”, finalizou o procurador.