Bruno Levy/ CadaMinuto 09ae3d6b c8c5 4a3d a880 3b82e75e35e0 Delegada Maria Angelita e os pais de Allan

O desaparecimento de Allan Teófilo, visto pela última vez na noite do dia 23 de novembro de 2017, completa seis meses este mês e continua um mistério para as autoridades. Equipes da delegacia especializada de roubos e furtos de veículos e cargas, coordenadas pela delegada Maria Angelita, entraram no caso para fomentar a investigação acerca do veículo que a vítima dirigia na noite do crime.

Segundo Maria Angelita, a determinação dessa decisão partiu do Delegado-Geral em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), e o veículo que Allan dirigia era um  Picanto 2011, de cor preta e placa NMJ 6631.

“Tendo em vista que o carro também sumiu, entramos no caso para ajudar nessas investigações. Trabalharemos em conjunto com a Delegacia de Homicídios, que já vem fazendo um trabalho muito profundo sobre esse desaparecimento” afirmou a delegada.

Ainda de acordo com ela, é importante que a população não esqueça o que aconteceu e que em casos de atitudes suspeitas ligue para o Disque Denúncia 181 para efetivar denuncias.

“Sabemos que a essa altura a placa do veículo já deve ter sido alterada, mas é importante que se alguém avistar um carro com as mesmas características denuncie para o 181. A população não pode esquecer esse caso, e às vezes, um detalhe que a pessoa pense que é pequeno, pode não ser aos nossos olhos” disse ela.

Entenda o caso

Allan Teófilo Bandeira foi visto pela última vez após sair de casa, no bairro da Forene, em Maceió, para ir jogar futebol com amigos na cidade vizinha de Satuba. Ele estava em um carro Picanto de placa NMJ 6631.

Leia Mais aqui

*Estagiários