7d03d80d cdd2 4e8e bd77 950a1414c18e

Boletim divulgado nesta quinta-feira, dia 01, pelo Ministério da Saúde sobre a febre amarela em todo o país revelou que em Alagoas houve seis notificações e quatro casos que ainda se encontram em fase de investigação. Ainda segundo o boletim, outros dois casos notificados no Estado foram descartados.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) esclareceu que não há circulação do vírus da febre amarela (nem silvestre e nem urbana) em Alagoas e nenhum caso da doença foi confirmado no Estado.  A secretaria falou que de janeiro a fevereiro deste ano já foram notificados seis casos suspeitos da doença, que são importados de outros estados (SP, CE, MG e RJ), e que dois deles já foram descartados e quatro permanecem aguardando o resultado dos exames laboratoriais, que são realizados no Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará.

A Sesau destacou ainda que os casos suspeitos não inspiram cuidados, uma vez que clinicamente já estão descartados. Quanto à vacina, em Alagoas a recomendação é apenas para os moradores de Delmiro Gouveia, por está situado vizinho ao estado da Bahia, onde há o registro de casos da doença. Quanto aos demais municípios alagoanos, incluindo Maceió, não há recomendação da vacina, apenas para as pessoas que irão viajar para outros estados onde há circulação do vírus da febre amarela.

Dados

Os dados do boletim foram coletados no período de julho de 2017 a fevereiro deste ano. O levantamento destaca que todo o país houve 723 casos de febre amarela confirmados, sendo que 237 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 2.867 casos suspeitos, sendo que 1.359 foram descartados e 785 permanecem em investigação, neste período. No ano passado, de julho de 2016 até 28 fevereiro de 2017, eram 576 casos confirmados e 184 óbitos confirmados. Os informes de febre amarela seguem, desde o ano passado, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. Dessa forma, o período para a análise considera de 1º de julho a 30 de junho de cada ano.

Embora os casos do atual período de monitoramento tenham sido superiores à sazonalidade passada, o vírus da febre amarela hoje circula em regiões metropolitanas do país com maior contingente populacional, atingindo 32,3 milhões de pessoas que moram, inclusive, em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina. Na sazonalidade passada, por exemplo, o surto atingiu uma população de 8 milhões de pessoas, muito menor que a atual.

Isso explica a incidência da doença neste período ser menor que no período passado. A incidência da doença no período de monitoramento 2017/2018, até 28 de fevereiro, é de 2,2 casos para 100 mil/habitantes. Já na sazonalidade passada, 2016/2017, a incidência foi de 7,1/100 mil habitantes, no mesmo período.

*Com Ministério da Saúde