Foto: Agência Alagoas E0b48faf c464 4af8 b611 f1976437cb8d Viaturas da Força Tarefa de Segurança em Alagoas

Apesar do Governo de Alagoas se envaidecer com o Projeto "Ronda nos Bairros", e diga-se de passagem que vem dando certo no Jacintinho, é preciso que a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AL) reveja alguns critérios de "mordomias" por alguns PMs de 'Patentes' superiores.

Dois fatos chamaram atenção deste jornalista para que este texto viesse a ser escrito no Blog não como críticas (factóides ou de oposição para quem assim achar) ao governo de Renan Filho (MDB), mas como forma de mostrar que o Poder Público - e o que é público - não é de estância pessoal, privado e ou particular. 

No último final de semana, em uma bar movimentado da capital alagoana, uma viatura da PM (daquelas lindas caminhonetes amarelas) parou (apesar do giroflex - luzes vermelhas - ligado) assustando até os clientes que estavam no local. Porém, a VTR - com dois militares na frente e um atrás - apenas estacionou para falar com um rapaz (família-amigo) que curtia o domingo com amigos e a namorada. 

Dessa conversa em frente ao estabelecimento, o veículo da SSP-AL ficou estático por cerca de 30 a 40 minutos, enquanto o bate-papo e 'conversa fora' entre os PMs (o carona e motorista) e o cliente do bar permanecia em gagargalhadas, gestos e risos. 

A observância desses relatos podem se tornar uma "bobagem" para alguns que leem este material, mas outros cidadão que estavam presenciando os fatos questionaram o porquê de um carro da Segurança Pública Estadual ficar parado tanto tempo, da menira que estava, sem fazer o que de fato era para ser naquele momento e horário de trabalho: a segurança da população. 

Foi quando um dos clientes falou para o amigo: "A polícia agora ganha para ficar conversando nos bares? É por isso que os 'maloqueiros' estão soltos por aí. Eles conversam com os amigos aqui [no bar]  e os meninos de bem estão roubando alguém por aí", comentou. 

Eis, entretanto, o primeiro fato presenciado pela ruas de Maceió. 

O segundo episódio, visto numa manhã da orla maceioense, por volta das 6hrs, acredito ser mais um caso de superfluidade que ocorre na Polícia Militar de Alagoas. Dois Pms corriam pelas belíssimas Praias de Ponta Verde-Pajuçara à proporção que a VTR amarela acompanhava os militares durante o percurso.

Podem até questionar se o militar deve ou não (se é obrigatório pela Patente) andar com VTR-segurança por conta da própria insegurança que as ruas trazem. Contudo, estranho é caracterizado com a caminhonete amarelinha e, além de tudo isso, fazendo suas atividades matinais - eis a questão? - usando uma proteção pública que muitos alagoanos custeiam e nunca chegarão a usufruir (a não ser - extrememente - em casos especiais).

Portanto, este não é um texto desconstrutivo ao trabalho realizado pela SSP-AL.

São casos, a exemplo dos citados aqui, que ocorrem no dia a dia (cotidianamente) e é questionável pela população, onde me incluo nessa população que paga os impostos sem retorno devido, além de pouco perceptível para quem está nas ruas do Estado de Alagoas.  

No pirmeiro caso, é inadmissível que 30 ou 40 minutos sejam desperdiçados - em conversa de bar e a serviço da população - à medida que asssaltos, roubos e mortes ocorrem em algum lugar da cidade. Já o segundo fato da corrida do PM na orla, se é permissível que uma viatura o acompanhe pela medalha de condecoração, que seja de maneira discreta e não usando o bem público (a amarelinha do Povo) para o uso particular. 

Quanto ao citar 'Patentes dos PMs', antes que me critiquem com asneiras, um militar é o Major bastante conhecido e, o outro, a tarja preta não se deixa enganar. 

Que tenhamos mais "Rondas nos Bairros" e a Segurança do Estado (de muitas autoridades) não se torne a in-segurança para população.

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com