Foto: BOL Caaed374 0538 4648 9382 736605210cd1 Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (MDB) votou favorável ao decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, mesmo considerando este uma loucura, como mostra o blog da jornalista Vanessa Alencar, que reproduziu as falas do emedebista. 

Ferrenho crítico do governo do presidente Michel Temer (MDB), Calheiros classificou o decreto como “simulacro”. “Estamos decidindo que se pode fazer intervenção por área específica. O presidente da República pode fazer intervenção, mas não há intervenção federal sem atingir o poder político. Isso é um simulacro, isso é uma intervenção decorativa...Aliás, o presidente da República tem obsessão por coisas decorativas”. 

Calheiros tem direito à crítica e há uma certa razão no que coloca em função de como essa intervenção foi feita, ainda mais diante das possíveis intenções políticas do presidente. Todavia, poderia ter sido mais coerente com o seu voto. 

Além disso, é sempre bom lembrar que Renan Calheiros é aquele que fez questão de apoiar o ato de rasgar a Constituição Federal no impeachment de Dilma Rousseff (PT), fazendo com que essa permanecesse com os direitos políticos. Então, sobre agir politicamente e adaptar situações às conveniências é coisa da qual Renan Calheiros também entende. Não é exclusividade de Temer. 

Calheiros foi além na crítica: “O que estamos fazendo aqui é uma loucura, é um tiro no pé, é uma exposição desnecessária das Forças Armadas a cumprir uma missão extraordinária, gigantesca, sem os meios necessários, com que estabelece a própria Constituição. Estamos aprovando uma intervenção militar – não é uma intervenção federal -, numa área específica, de que a Constituição não trata, sem os meios necessários”.

E assim, Renan Calheiros criticou o hospício se unindo aos loucos...

Estou no twitter: @lulavilar