A8beb5d4 5f28 4ba3 a7c0 575dc4b719f2

 

Possuidor de um forte argumento o Estado- que produz a miserabilidade e os miseráveis sociais- induz a sociedade, refém do medo criado pela desordem institucional- a crer que a morte do outro que a ameaça a faz sentir-se segura. 
Em agosto de 2014, no bairro do Benedito Bentes, em Maceió, Alagoas, Davi da Silva foi seqüestrado, torturado, assassinado e o corpo ocultado.
Davi da Silva não era um bandido.
Policiais fardados seqüestraram Davi da Silva.
Cometeram os crimes de tortura, seqüestro, cárcere privado, homicídio qualificado e ocultação de cadáver.
Davi da Silva tinha 17 anos, não portava arma ou representava ameaça aos seus algozes.
A sociedade alagoana se fez de muda-e-surda diante da morte anunciada do adolescente Davi. 
A sociedade alagoana naturalizou o assassinato de Davi da Silva,preto, pobre e morador das periferias distantes.
Davi da Silva não era um bandido e foi morto. Seu corpo nunca foi encontrado.

E faz mais de três anos que a mãe  chora sua morte.

E daí?