CadaMinuto D6130880 fbdd 4952 8d4c 8c16329073a5 Roberto Martins, presidente do Sindicato dos Servidores do Detran de Alagoas (Sinsdal)

Em greve desde o dia 29 de janeiro, os servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran) realizaram mais uma assembleia nesta quinta-feira, dia 08. Entre os assuntos tratados está a manutenção de 50% dos serviços essenciais do órgão, decisão esta imposta pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas, Tutmés Airan.

O presidente do Sindicato dos Servidores do Detran de Alagoas (Sinsdal), Roberto Martins disse que a categoria “vai apelar para que representantes do Governo, da direção do Detran e do Tribunal de Justiça se reúnam com o sindicato para então definirem quais os serviços que são considerados essenciais para então atender ao pedido da Justiça”.

O sindicalista destacou ainda que a pauta de reivindicações não é nova e ressaltou que os trabalhadores do Detran “não gostariam de entrar em greve, mas foram desafiados pelo governo”.

A categoria pede a realização de concurso público para o preenchimento de 140 vagas, autonomia administrativa e financeira do órgão e a revisão do Plano de Cargos e Carreiras.

De acordo com o sindicato, o Detran possui 340 servidores efetivos, dos quais 50 estão afastados devido a doenças ocupacionais e cerca de 70 devem se aposentar a partir do primeiro trimestre de 2018.

AÇÃO EDUCATIVA

Mesmo em greve, os servidores estarão realizando nesta sexta-feira, dia 09,  véspera do início do período carnavalesco, uma série de Blitze educativas em diversos pontos da capital.

“Na ação estremos distribuindo para os condutores brindes, folhetos educativos sobre o trânsito seguro e também informando os cidadãos sobre a paralisação das atividades”, informou Roberto Martins.