Foto: Correio Notícia Ad4e42b9 4f82 4f9e afd4 3664bfd4085a Delmiro Gouveia

A Câmara de Vereadores do Município de Delmiro Gouveia passa a ser investigada depois que o Ministério Público Estadual (MPE), através do promotor Bolivar Cruz Ferro, recebeu denúncias sobre a contratação de funcionários “fantasma” no poder legislativo.

Na denúncia, foi entregue ao promotor planilhas da folha de pagamento de pessoal de dezembro de 2017, além de outras despesas realizadas pela própria Câmara, nos meses de dezembro de 2017 e janeiro de 2018.

Na portaria publicada no Diário Oficial do Estado, nesta quinta-feira (08), o relato do denunciado feito ao MPE é que o “número de servidores da Câmara, informado em uma dessas planilhas, não condiz com a realidade, ou seja, ele é muito superior ao quantitativo que o denunciante observa, trabalhando no cotidiano do órgão, sugerindo, inclusive, que alguns dos servidores relacionados ou estariam cedidos de maneira irregular a outros órgãos ou poderiam ser fantasmas e receberiam dos cofres públicos sem efetivamente trabalharem”.

O promotor requereu da Câmara Municipal de Delmiro Gouveia informações sobre a lotação dos servidores relacionados na folha de pagamento do pessoal, assim como a relação de possíveis servidores cedidos para outros órgãos públicos e o respectivo ato de cessão (caso exista).

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em virtude das informações solicitadas pelo Ministério Público acerca da lotação dos servidores da Casa Legislativa, a Câmara de Vereadores de Delmiro Gouveia ressalta que, dentro do prazo legalmente estabelecido, enviará ao MP todas os dados necessários para o esclarecimento dos fatos.

Prezando pela transparência dos seus atos, a Câmara encaminha ao seu setor jurídico as requisições para que sejam respostadas o mais breve possível. A Casa Legislativa de Delmiro Gouveia, em nome do seu presidente Ezequiel de Carvalho Costa, reitera a admiração e respeito ao Ministério Público e parabeniza o seu trabalho fiscalizador.