Maciel Rufino - Arquivo 1297968482dsc 0464 Fantasias mais procuradas

 Luiz Eduardo da Silva

CRP/15-3354, Psicólogo com especialização em Psicologia Jurídica e Membro da Comissão de Psicologia Jurídica do CRP/15. Alagoas 
 
É carnaval! E com ele as alegorias e fantasias saem do imaginário e ganham vida no mundo real. Aliás, qual a sua? Todos os anos assistimos um multifacetado desfile de fantasias camufladas de muita simpatia e bom humor. 

Do latim phantasia (que, por sua vez, provém de um vocábulo grego), é a faculdade humana que permite reproduzir, através de imagens mentais, sentimentos vividos ou representar acontecimentos que não pertencem ao âmbito da realidade. É o que também nos diz o compositor na música Fantasia: “Me engana, me esconde a verdade, sonhar é melhor que sofrer”. Este refrão faz jus a definição e a forma como muita gente vê a realidade. 

Para diversos autores psicanalistas as fantasias inconscientes se originam a partir de uma forte experiência vivida na primeira infância, que muitas vezes só podem ser percebidas quando ganham consciência através da psicoterapia, análise ou grande sofrimento psíquico, pois elas determinam a forma com que você qualifica as relações com sua companheira (o), seus pais, familiares, amigos e colegas de trabalho. 

Muitas vezes os conflitos interpessoais surgem da não correspondência das fantasias, que servem para atender necessidades primárias da infância que de alguma forma foram negligenciadas por ação ou omissão dos pais ou cuidadores; mas depois de adultos muitas vezes são delegadas a quem se reedita um novo vínculo; pedem para serem atendidas, mas que nunca serão plenamente satisfeitas. 
As fantasias são componentes do psiquismo, e como tal, é parte integrante do ser humano, portanto, é natural que todos tenham sonhos e expectativas com quem se relacione, como dizia Cazuza: “Fica esperando que o outro caiba no seu sonho”. Para isso é indispensável que ambos, de forma consensual, queiram atender essas expectativas, caso não, é preciso respeitar a individualidade humana e seguir. 
Porém antes mesmo de qualquer tomada de decisão, é imprescindível verificar se essas expectativas e fantasias não lhe trazem nenhum tipo de dor ou sofrimento. Pois você pode até não perceber, mas essas poderão te roubar de você mesmo, e te fazer escravo de si próprio. 

Já pensou o que quer vestir neste carnaval? Pense agora no que quer sentir. Esta poderá ser uma grande oportunidade de conhecer um pouco mais o seu desejo e aonde quer chegar. Afinal, qual é a sua fantasia?