Foto: Assessoria 08426fc7 4b94 49cb 8119 0ff47a0d33dd Presidente da Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios, o vereador Júnior Miranda (PSL)

O presidente da Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios, o vereador Júnior Miranda (PSL), rebateu às acusações de que - apenas - assessores de vereadores aliados recebem gratificações em troca de apoio. 

A matéria foi publicada neste Blog - Palmeira: assessores de vereadores recebem gratificações em troca de apoio - na última segunda-feira, 29. 

Em entrevista à Rádio Palmeira FM, onde fez um balanço da sua gestão à frente da Mesa Diretora, Miranda "abriu o verbo" para esclarecer sobre o benefício de 100% de gratificação que é dado aos cargos comissionados e distribuídos entre os familiares, amigos e aliados dos parlamentares ligados diretamente e com apoio garantido ao presidente da Câmara palmeirense. 

Ao rebater o fato que repercutiu na cidade, o presidente da Câmara explicou que o ato foi aprovado por unanimidade em votação no plenário da casa. Na entrevista, Miranda ainda apresentou o trecho da Lei 2.121/2017 reconhecida pela maioria dos parlamentares palmeirense. 

"Os vereadores presentes votaram e aprovaram em plenário a Lei 2.121/2017. Ela diz que [..] Os cargos de provimento em comissão, da Administração, constante no anexo II, serão preenchidos mediante livre indicação da Presidência, e nomeação pela Mesa Diretora da Câmara Municipal, através de Ato da Mesa, com funções já anteriormente definidas por Lei. Fica criada gratificação sobre os vencimentos de Cargos de Provimento em Comissão; da Administração, de Assessores dos Membros da Mesa Diretora, de Assessores dos Vereadores; e cargos de Provimento Efetivos, quando da necessidade existente e disponibilidade financeira duodecimal, mediante livre concessão da Presidência e nomeação pela Mesa Diretora da Câmara Municipal, através de ato da mesa”. Art. 8º, parágrafo único[...]", pontuou.   

Por outro lado, Júnior Miranda ainda questionou o assunto dos contracheques que foram divulgados apenas dos vereadores que fazem parte de seu grupo político: o conhecido G-6. Na oportunidade, o vereador-presidente revelou que abriga política é pelo PODER e não para resolver os problemas da cidade. 

"Por que não colocaram na matéria o nome de todos que receberam gratificação? Queria que o mesmo site colocasse o nome e o salário dos assessores do G-9 [Grupo dos 9] também. Tem hora que tenho vergonha em dizer que sou vereador de Palmeira. Não vejo ninguém brigando para resolver os problemas da cidade. Estão brigando pelo poder. Mas lembre de que quem quer Poder tem de disputar e ganhar uma eleição como eu fiz", rebateu o presidente. 

G-9 recebe gratificações 

Já o primeiro secretário da Casa, vereador Fabiano Gomes (PSC), lamentou a tensão política provocada devido ao "racha" que houve no legislativo. Gomes também aproveitou a entrevista para dizer que os assessores dos vereadores do G-9 também recebem gratificações. 

“Acredito que mais prejudicado por essa briga do outro lado pelo Poder é o povo. Isso foi uma jogada na tentativa de ludibriar o povo. Mas todos estão vendo o que vem acontecendo. os vereadores Abraão Paulino, Ronaldo Raimundo, Joelma Toledo, Madson Monteiro, Pedrinho Gaia, ressalte-se, todos tiveram gratificações de 100% para seus assessores”. 

Por fim, o presidente Júnior Miranda pediu que, se há desconfiança quanto a seu trabalho, que vasculhem sua vida.

“Não terão coragem de fazer o que vou fazer agora. Mas me coloco à disposição para que seja quebrado meu sigilo telefônico, bancário, fiscal, e vejam qual o relacionamento que tenho com o Executivo que seja ilegal. Se descobrirem algo, venho aqui renunciar ao cargo e vou embora de Palmeira dos Índios”, concluiu.

 Com Informações da Assessoria da Câmara de Palmeira dos Índios

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com