1961a6f5 e02c 4c76 8e54 d4cfdb2ab384

De autoria da deputada estadual Thaise Guedes (PMDB), aguarda parecer da comissão de Constituição, Justiça e Redação, o Projeto de Lei que requer que as mulheres alagoanas tenham direito à exame genético para detectar trombofilia - distúrbio que provoca desequilíbrio da coagulação sanguínea.

 

A matéria diz que toda mulher usuária da Rede de Saúde Pública de Alagoas terá direito à investigação, ao exame que detecta trombofilia e ao respectivo tratamento no caso de histórico familiar. A avaliação da necessidade de investigação deverá ser feita pelo médico obstetra ou ginecologista, particularmente em relação aos parentes de primeiro grau com trombose e gravidez de alto risco com comprovada associação à trombofilia.

 

A deputada defende que o exame que a nova lei assegura é simples, feito a partir de uma amostra de sangue, onde revela se a mulher tem ou não uma propensão genética a desenvolver o problema - Porém, ele não costuma ser pedido rotineiramente pelos médicos. "Estão no grupo de risco as pessoas que têm histórico na família, as gestantes e as mulheres que utilizam pílulas anticoncepcionais. A trombose é a formação de coágulo nas pernas, e desenvolve pouco ou quase nenhum sintoma no indivíduo, sendo muitas vezes referida como uma doença silenciosa. Em casos graves e não tratados, por exemplo, pode evoluir para uma embolia pulmonar e levar à morte. Por isso os exames são fundamentais em todas as fases da vida da mulher", destacou.