Thiago Davino/CadaMinuto/Arquivo 14086713051885 Uncisal

O Instituto AOCP divulgou na tarde desta quarta-feira, 24, a nova lista de aprovados no vestibular 2018 da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal). Ao anunciar o resultado, a instituição pública informou, por meio da assessoria de Comunicação, que estão canceladas as matrículas dos candidatos com base na lista divulgada no dia 19 deste mês.

Para justificar o cancelamento, a Reitoria considerou o erro “cometido e reconhecido” pelo AOCP e o fato de alguns candidatos terem efetuado as matrículas com base na lista posteriormente anulada pela organização do certame. A listagem retificada pode ser conferida aqui: http://institutoaocp.org.br/concurso.jsp?id=168.

Ainda conforme a Uncisal, os candidatos ora aprovados com base na lista divulgada hoje deverão realizar a matrícula conforme o documento de convocação.

Ontem, por meio de nota, o instituto informou que a nova lista seria divulgada apenas amanhã. No texto, o AOCP explicou que a publicação indevida do resultado final na sexta-feira passada decorreu de um erro na programação do sistema responsável pelo processo e eximiu a universidade de responsabilidades sobre o ocorrido.

Também por meio de nota, a Uncisal destacou que Reitoria está cobrando "uma análise criteriosa sobre os dados colhidos e a total transparência na divulgação dos resultados" e se solidarizou com candidatos e familiares lesados pela divulgação da primeira lista.

Em entrevista coletiva na segunda-feira, o reitor Henrique Costa garantiu que os nomes dos aprovados só seriam divulgados com “100% de segurança”. Ele também descartou, no momento, a hipótese de anular o certame.

Um grupo de alunos se reuniu com a promotora de Justiça, Norma Medeiros e protocolou uma representação para que o Ministério Público Estadual (MP-AL) apure apurar as falhas ocorridas na divulgação do resultado do vestibular da Uncisal.

Hoje pela manhã, o CadaMinuto publicou uma reportagem onde internautas denunciaram que a empresa organizadora do certame já foi alvo de denúncias envolvendo outros concursos, principalmente no estado da Bahia.