071b4171 fc19 4d5e 88c5 b3fc3a960ed0

A coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, Arísia Barros, a convite da Fundação Rede Brasil Sustentável, participou de Seminário sobre Educação discutindo sobre a desconstrução estrutural do racismo na educação, as ações afirmativas e as dinâmicas políticas para  implementação da Lei nº10.639/03.

O  Seminário sobre Educação aconteceu dia  20 de janeiro (sábado) e trouxe  à tona  a urgência do discurso de se investir de uma  educação equânime,  como estratégia basilar para uma cidadania plena.

Diversos especialistas participaram das discussões que aconteceram em dois turnos ( manhã e tarde), buscando a partir de suas especificidades responder as seguintes questões propostas pela Fundação: Quais os principais problemas e desafios que identifica para a garantia do direto à Educação no Brasil? Quais as alternativas ou mecanismos a serem implementados para responder a esses desafios? Quais metas poderia indicar como possíveis de serem atingidas em experiência governamental durante 4 anos?

Para o debate do período da tarde, a mesa foi composta por Arísia Barros, coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, Daniel Munduruku, escritor índigena e doutor em Educação,Rachael Trajber, especialista em Educação Ambiental e Ricardo Silva,pesquisador em trabalho docente, políticas públicas e educação, sob a coordenação da cientista social, Jane Maria Vila Bôas.

Durante 30 minutos, Arísia Barros falou sobre a existência, produção e reprodução do racismo no cotidiano escolar, destacando práticas e discussões que veiculam o racismo, internalizando no seio escolar cada vez mais intensamente  as discriminações, preconceitos, enfim, consubstanciando o  racismo. Arísia enfatizou, em seu discurso a urgente necessidade da implementação das políticas afirmativas, dentre elas a Lei nº 10.639/03.

 

Com transmissão online em bit.ly/18eixos, o Seminário sobre Educação teve longo alcance nos estados brasileiros, dentre eles o Rio Grande do Sul e foi lá que  a educadora da Rede Pública,e Pesquisadora em Projetos de Educação Integral e Cultura de Paz, Pamela,motivada pelo debate enviou perguntas aos palestrantes, como também teceu comentários sobre as exposições.  

A coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas recebeu de Pamela,a seguinte  mensagem: Parabéns pelo debate de ontem, trazer exemplos da cultura estrutural racista é mais do que importante, é extremamente necessário na Educação.

É evidente que o diálogo sobre nas escolas é superficial... e pautada numa cultura de violência direta e visível, concreta. E pouco se aprofunda nas raízes estruturais e culturais, que não ficam a olhos vistos, mas que alimenta e retroalimenta uma violência que adentra sem que percebamos nossa Educação. Está aí uma desaprendizagem para mim e para muitos adultos enquanto procuramos desenvolver a aprendizagem verdadeira e em valores com as crianças.

O  Seminário sobre Educação foi  realizado na cidade de Maceió  Praia Hotel Enseada – Av. Dr. Antônio Gouveia,  171 – Pajuçara