Foto: Assessoria 11b92e54 7a7c 4461 bf6c f5461c8b30ce

Na última semana, o município de Marechal Deodoro chegou à marca de 100 dias sem registro de mortalidade infantil. Diversas iniciativas fizeram com que o município alcançasse esse dado positivo, como o investimento em ferramentas online, informatização do sistema e capacitação de todos os profissionais da Saúde.

Uma das primeiras ferramentas implantadas no município foi o monitoramento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) por meio de SMS. Dentre o monitoramento realizado está o das gestantes. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os agentes comunitários de Saúde, após iniciarem o trabalho com o uso de tablets, começaram a realizar o cadastros dos números dos moradores das residências no sistema. Com isso, quando os agente identifica alguma gestante em sua área de atuação, o contato é direcionado para uma área específica do sistema e a usuária já recebe o encaminhamento para iniciar o Pré-Natal.

Na primeira consulta do Pré-Natal, as usuárias são direcionadas para a realização dos exames preconizados pelo Ministério da Saúde, como o hemograma e a ultrassom, assim como os testes rápidos que permitem diagnosticar doenças como Sífilis, Hepatite C, HIV. A gestante também já sai com a próxima consulta agendada.

A ferramenta de monitoramento por SMS faz com que as pacientes grávidas recebam diariamente mensagens dos enfermeiros, podendo haver interação com respostas sobre queixas ou dúvidas, tudo de forma gratuita. Caso a paciente relate algum problema ou algo que chame a atenção, a enfermeira entra em contato com a usuária e dá as devidas orientações, com o intuito de prevenir possíveis complicações na gestação, ou apenas retira a dúvida.

Atuando em Marechal Deodoro há 19 anos, Ruger Correia, enfermeira do PSF do Denison Amorim, afirmou que o município investiu em programas que foram essenciais e que possibilitaram o acompanhamento de perto da população. Ela ainda garante que hoje existe uma comunicação mais aberta da Saúde do município para com os profissionais e dos profissionais para os usuários.

“A expectativa de todo profissional que lida com saúde é salvar todas as vidas. A ideia da gente é zerar o número de falecimento. Hoje eu como profissional me sinto mais estrutura para trabalhar. Eu consigo desempenhar com otimização e objetividade meu trabalho. E com isso, conseguimos trabalhar mais próximo da gestante, para que de forma precoce a gente evite o pior lá na frente. Acredito que este seja o pensamento de todas as enfermeiras do município” disse.

 

A efetividade do SMS só foi possível com a implantação de outro sistema, o E-SUS+. Com o programa, os enfermeiros acompanham o trabalho dos agentes de saúde, que por sua vez, tem a gestante cadastrada em seu tablet. Com isso, o agente vai até as residências, registra a assiduidade no Pré-Natal, analisa a frequência nas consultas e a regularidade das vacinas.

“Esses dados que estamos colhendo é consequência da aproximação. A gestante antes tinha que ir até a unidade buscar o atendimento. Hoje se ela tiver uma dúvida, ela me manda uma mensagem, e eu respondo. Hoje ela tem uma comunicação mais fácil e aberta com sua Unidade de Saúde. Marechal Deodoro é hoje uma referência na Saúde. Tem pessoas vindo morar aqui porque na sua cidade não tem um atendimento digno de saúde. Todo esse avanço só está sendo possível graças ao trabalho desenvolvido pelo secretário Aérton e o apoio do prefeito Cacau. Sem o empenho deles nada disso será possível”, afirmou a enfermeira.exame

Todas essas informações colhidas pelos agentes são repassadas em tempo real para as enfermeiras nos Postos de Saúde, que por sua vez, acompanham e direcionam, da melhor maneira, a gestação das pacientes.

As ferramentas implantadas garantiram, ainda, um aumento da quantidade de exames, assim como a facilidade para a marcação. Hoje, todos os exames disponíveis no município podem ser marcados na própria unidade de saúde. Além disso, em 2017, foram realizados mais de 43 mil exames laboratoriais.  Quase 31 mil exames a mais que 2016.

Fábia Duarte, moradora do Denison Amorim, entrou no sexto mês de uma gestação de gêmeos e recebe o atendimento do Sistema Público de Saúde (SUS). Ela está em sua segunda gestação e está satisfeita com o acompanhamento da rede de saúde pública de Marechal Deodoro.

“Na primeira gestação eu paguei o plano de saúde para ter todo acompanhamento, e agora eu não precisei. Está tudo tranquilo, graças a Deus. Eu estou satisfeita com o atendimento. Como eu não posso ir, elas [agentes] entregam os exames na minha casa; me atendem, me orientam, me passam tudo. As enfermeiras ligam para mim. Eu confio no trabalho deles [unidade de saúde], graças a Deus, não está me faltado nada”, afirmou.

Todo esse acompanhamento é feito por meio do “Circuito da Gestante”, um caderno com todas as orientações e fases da gestação. Com o passar do tempo, a gestante vai cumprindo as obrigações e passando de fase. A cada parte do circuito concluído, é dado um presente como forma de incentivo.