Crédito: Ascom MPE Alagoas E21c73a4 8b75 413c 8b9c 19a290524154 Procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça

O PSL, sigla que agora abriga o deputado federal Jair Bolsonaro, está confiante de que conseguirá emplacar bons nomes para o pleito em Alagoas. Apesar da perda de algumas filiações em razão da entrada do deputado federal Jair Bolsonaro (efeito da briga com o Livres), o médico Henrique Arruda - que foi candidato a vice-prefeito de Maceió, em 2016 - segue no comando da legenda. 

Uma das apostas do partido é conseguir trazer o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar para a agremiação e, desta forma, lançar sua candidatura ao Senado Federal. Um outro nome que vem sendo cogitado pelo partido é o do deputado estadual Rodrigo Cunha, que se encontra no PSDB. Diálogos, segundo uma fonte, já existem. Os que ficarem no partido estarão compromissados em abrir palanque em Alagoas para o presidenciável Jair Bolsonaro. 

O PSL tenta se reestruturar para não ficar fora do pleito de 2018. O médico Henrique Arruda também pode surgir na disputa por uma das cadeiras do Legislativo, seja na Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas ou na Câmara de Deputados. Todavia, os convites não param por aí. O secretário municipal Davi Maia também é um nome sondado. A sigla tenta abrigar políticos e nomes de projeção que tenham visões liberais e/ou conservadoras, ficando completamente fora de um espectro de esquerda. 

Quem também corre neste sentido é o Novo. Em Alagoas, o partido tem a pretensão de lançar uma candidatura ao Senado Federal, com Tibério Rocha Júnior e uma a deputado federal, que é o nome da advogada Maria Tavares. 

Quanto ao PSL, tentei contato com Henrique Arruda na manhã de hoje para falar sobre as informações que circulam nos bastidores. Mas, não obtive êxito. 
 

Estou no twitter: @lulavilar