Divulgação F194f3c7 dadb 49c4 abe9 345a1b5234a0 Albani Sandes não entende uma falha de tamanha natureza cometida por um órgão responsável do porte do MPC

Na segunda-feira a ex-prefeita de Água Branca, Albani Sandes exigiu da Eletrobras que  fornecesse um documento comprovando  que não ficou nenhum “prego” de seu governo junto a empresa, conforme denunciou na última semana, o Ministério Público de Contas- MPC, numa relação que apareciam mais 14 Prefeituras alagoanas.

Trata-se, conforme a então denúncia do MPC de uma  dívida de R$ 5.814.17 acumulada no período de 2014/2015. Pois bem, a ex-gestora chegou junto de André Brito Monteiro de Carvalho, gerente de cobrança da Eletrobras exigindo para que o mesmo fornecesse  uma declaração, dando conta de que realmente não ficou nenhum penduro durante seu governo. Diante desses documentos, Albani foi até o MPC, a fim de que o órgão se retratasse desse equívoco desagradável.

Por sua vez, o Ministério Público de Contas, conforme o site Correios Noticia, ressaltou que foi acionado pela própria Eletrobras a respeito dos débitos das Prefeituras, e em seguida ofereceu representação ao Tribunal de Contas do Estado. Mas o pior de tudo isso, é que a atual gestão de Água Branca já tinha negociado a referida dívida; e segundo a assessoria da Prefeitura o órgão já estava cumprido com o parcelamento dos cerca de seis milhões de reais.

Esse mesmo tipo de equívoco do MPC ocorreu com a Prefeitura da Barra de Santo Antônio. É triste! Bem que vale uma ação por danos morais!