Foto: Cortesia Aeec32be e8fe 42f7 91cd eeaeacc18135 Cláudia Petuba, secretária de Esporte e Lazer do Estado de Alagoas

“A política ama a traição e abomina o traidor”.

A frase de Leonel Brizola ilustra o que vem acontecendo no PCdoB em Alagoas que vive uma crise de identidade, o que vem gerando um partido cada vez mais frágil ideologicamente e inerte perante causas que defende historicamente.

A sigla comandada por Cláudia Petuba, que também é secretária de Esporte de Alagoas, tem duas concepções bem distintas: uma que investe no “sucateamento” do partido para se manter no PODER; a outra que age de forma proativa, sempre buscando avançar no campo político de forma prática.

Outro fator que pesa contra a concepção “mais conservadora”, se é que podemos tratar assim, é a inoperância do PCdoB frente à pasta estatal que deveria ter sido utilizada - ao longo dos anos - como vitrine de um trabalho de excelência.

Contudo, o que aconteceu foi o inverso! Cláudia Petuba colecionou manchetes negativas e quem anda nos corredores do Palácio República dos Palmares sabe que sua “nota” - junto aos setores do PODER - sempre esteve em baixa.

Com todo esse rosário de “inoperância” o PCdoB deve ser controlado - em breve - por Lindinaldo Freitas de Alencar que também vem da mesma linhagem de Petuba.

Em tempo: é trocar seis por meia dúzia.

As concepções que hoje integram o partido defendem a aliança com o Governo do Estado, porém, agem de formas distintas no trato e no agir político.

Para citar alguns exemplos, atualmente, o PCdoB conta com duas candidaturas robustas para disputas proporcionais: Jairo Campos, reitor da Uneal, que deve ser lançar como candidato a deputado Estadual, e Eduardo Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Professores de Alagoas que poderá disputar uma vaga à Câmara dos Deputados. 

Já o nome de Petuba é visto com desprestígio, pois, não “usou” a pasta do Esporte para aglutinar e fazer um trabalho de notoriedade pública.

A secretária deve ser desligada da Secretaria para se lançar ao cargo de deputada Estadual, mesmo com chances remotas de se eleger. Hoje - Petuba - é praticamente obrigada a se lançar para justificar o período de 'sombra e água fresca' no erário.

Nessa conjuntura política, portanto, segue em discussão o novo nome que irá gerir a Secretaria Estadual de Esporte com a vacância de Cláudia.

A concepção ligada à Petuba e Lindinaldo Freitas tem suas predileções. Já a ala que constrói o partido e tem atuado com destaque bateu o martelo em torno do nome de Eduardo Vasconcelos que, por sua vez, segue indefinido, já que sua pré-candidatura para deputado federal está se concretizando em todo o Estado.

Por fim, o Palácio República dos Palmares deve escutar a maioria dentro do PCdoB, que sempre agiu de forma coletiva e serena. 

Todavia, uma coisa é certa: a implosão é para ontem!

Será? 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com