E677b2bb b09f 4af4 9510 f506dbd6fa5c

Esta semana os telespectadores acompanham a minissérie de quatro capítulos, “Entre Irmãs”, na Rede Globo, a partir das 22h. A estreia, na terça (02), conquistou elogios do público e da crítica, segundo os sites de notícias. Editada a partir do longa-metragem “Entre Irmãs”, baseado no livro "O Cangaceiro e a Costureira", de Frances de Pontes Peebles, que estreou nos cinemas em todo o Brasil em outubro do ano passado, o filme que conta a saga de duas irmãs, Luzia e Emília, criadas pela tia no interior de Pernambuco, na década de 1930, traz também em sua bagagem a estreia de três atores alagoanos na “telona” do cinema nacional e na “telinha global”.

O que para o grande público representa um show de interpretação de Nanda Costa (Luzia), Marjorie Estiano (Emília), Cyria Coentro (tia Sofia), Júlio Machado (cangaceiro Carcará), entre outros artistas de renome, em especial para Alagoas, o show é de três alagoanos que atuam como elenco de apoio, além de inúmeros figurantes sertanejos. Alberto do Carmo, conhecido no cenário cultural estadual pela direção de vários espetáculos, foi grande o suficiente para despir-se de vaidades para interpretar o padre que celebra o casamento de Luzia e Carcará (a cena foi ao ar nesta terça,03). Os atores Nivaldo Azarias e Naéliton Santos também entram em cena, na pele de cangaceiros do grupo de Carcará.

 

 

A trama que relata a ligação fraternal entre as irmãs Emília (Marjorie Estiano) e Luzia (Nanda Costa) e a forma com que ambas distintamente vivem o amor, angústias, sonhos e a força da mulher sertaneja ao “costurar” suas histórias em cenários adversos à afirmação feminina, também brinda o telespectador com imagens primorosas sob a direção de fotografia de Leonardo Ferreira. As cenas foram rodadas em Piranhas e em cidades do interior de Pernambuco, onde o bando de Carcará teve seu universo cênico construído.

O ator arapiraquense Nivaldo Azarias, cangaceiro do bando de Carcará, teve vários takes (tomadas) nas cenas desta quarta (03) e, ainda terá muitos mais até o final da minissérie. Dos três atores alagoanos, ele foi o que mais participou do set de filmagem, foram trinta e cinco dias de gravações entre Alagoas e Pernambuco. Segundo Nivaldo, desde o seu teste de seleção a assistente de direção, Cibele Santa Cruz, o elogiou dizendo: “Você já tem cara de cangaceiro”. Neste caso, nós do Click Due, até que concordamos, que ter cara de cangaceiro é um elogio.

 

 

Sob a direção de Breno Silveira, não somente as atrizes protagonistas e atores de renome ganharam atenção, muitos anônimos do elenco de apoio também tiveram seu momento de destaque, seja por um close, por pequenas falas ou por cenas que os revelaram, mesmo que por segundos, ao grande público.

 

 

“Essa foi uma experiência fantástica, porque o sonho de todo artista é participar de uma novela, um filme... participei de um projeto que não houve tratamento diferenciado entre estrelas globais e elenco de apoio, Breno Silveira foi surpreendente pela atenção dada igual a todos e sempre tirando o melhor de cada ator. Está foi a minha primeira grande oportunidade em nível nacional, isso para o meu currículo é mais que um cartão de visita, é um verdadeiro cartão postal. Me sinto privilegiado pelos closes dados ao longo das filmagens, isso é algo que guardarei para sempre”.  Finalizou Nivaldo Azarias.

 

 

A experiência também foi inesquecível para Naéliton Santos, que vivenciou com a equipe da Conspiração Filmes um dos momentos ímpares de sua carreira profissional. Uma coisa é certa. Temos que aplaudir nossos atores por compreenderem que todo papel é digno e por caminharem passo a passo rumo a conquistas maiores além divisas, além limites e quiçá além fronteiras.