Reprodução 4d4906eb e6b8 452b 91d7 a01eb7147f9f

Assessoria Jurídica da Delegacia Geral cometeu trapalhada e demonstrou no mínimo a falta de trato com a sociedade que fez o concurso e almejava um sonho da carreira na Polícia Civil. Foi publicada pela Delegacia Geral a convocação de 92 candidatos para fazer o curso de Formação na Academia de Polícia, mas houve corte de nomes.

Alguns candidatos denunciaram ao Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) que a explicação da Delegacia Geral é que a Procuradoria Geral do Estado só aceita candidatos remanescentes, ou seja, o concurso foi pra 240 vagas, e as vagas, que não foram preenchidas, serão completadas.

A Delegacia Geral ao publicar a relação de convocação para Academia de Polícia assumiu a responsabilidades pelo seu ato.

O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, clama ao governador que permita que todos os 92 candidatos aprovados tenham o direito a fazer a Academia de Polícia Civil. Destes, 31 tiveram os seus nomes retirados na convocação publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (03).

O presidente do Sindpol apela para sensibilidade do governador e permita que o pessoal faço o curso, tendo em vista ao alto deficit da Polícia Civil em mais de 3.000 pessoas.

Convocação da Imprensa

O Sindpol convoca os meios de comunicação para mais esclarecimentos nesta quinta-feira (04), às 7h30 em frente ao Divisão Especial de Investigação e Captura (Deic), onde funciona a Academia de Polícia, no bairro da Santa Amélia.