Foto: Reprodução / Facebook 0145b44c c98a 4480 bd5d 29fcb9053098 Cristóvão Rodrigues, de 61 anos

O corpo do agropecuarista Cristóvão Rodrigues da Silva, de 61 anos, encontrado no dia 27 de dezembro, em um canavial no município de Pilar, só deve ser sepultado após o resultado do exame de DNA, que deve ficar pronto em cerca de dez dias úteis, conforme a assessoria de Comunicação da Perícia Oficial de Alagoas (POAL).

Ainda de acordo com a assessoria, a família da vítima e a Polícia Civil solicitaram a realização do exame, mesmo depois da comprovação, por meio da análise da arcada dentária, de que o corpo é mesmo de Cristóvão.

Amostras de familiares já foram recolhidas e o material da ossada deve ser encaminhado pelo Instituto Médico Legal (IML) ao Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística (IML), onde o exame de DNA será feito.

A reportagem entrou em contato com o advogado da família, Leonardo de Moraes, mas ele disse que não estava autorizado a informar as razões pelas quais o exame de DNA foi solicitado.  

Um dia após o corpo ter sido encontrado dentro de um veículo carbonizado, o exame de arcada dentária, realizado pela odontolegista Christiane Ribeiro, confirmou que a ossada é do agropecuarista que estava desaparecido desde o começo de agosto do ano passado.

Cristóvão foi visto pela última vez no dia 03 de agosto, quando deixava a cidade de Murici a caminho de Maceió.

 

 

*Estagiária