Foto: Natália Cerqueira 0639d800 df3b 46ab 8d21 1dcc75bafa17

Após a prisão do último suspeito envolvido na morte do sargento da Polícia Militar, Célio Cícero Valdemar, de 50 anos, polícia encerrou o caso. A informação foi divulgada na tarde desta sexta-feira (29) durante uma coletiva a imprensa na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Segundo o delegado da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), Fábio Costa, Moacir dos Santos Alvez, vulgo “Moita”, de 25 anos, é o ultimo envolvido na morte do PM. “Moita” foi preso no dia 14 de dezembro durante uma ação conjunta da DHC com a Afisxia.

Ao todo quatro suspeitos foram presos e um morreu em confronto com a polícia. Segundo o delegado, o sargento teria sido abordado em uma borracharia na beira da estrada, em Messias, por Cleberson Silva de Souza (Binho), 22 anos, Elissandro Rufino e o “moita”.

Outros envolvidos

Foram presos: Edvaldo Amâncio da Silva (Nó cego), 38 anos, estava com o celular do sargento; Cleberson Silva de Souza (Binho), 22 anos e Elissandro Rufino Medeiros (Brasa) 18 anos e um outro suspeito identificado como Welligton Jose da Silva (Leto), de 35 anos, entrou em confronto com a polícia e morreu no local.

Também durante a coletiva, foram apresentados os nomes de outros treze homicidas presos na Capital, entre eles, Wedja Millena Lino da Silva, de 21 anos, suspeita de participar do esquartejamento de Yessamim Sara Pereira da Silva, em junho deste ano, no bairro do Benedito Bentes.

Segundo o delegado Fábio, Wedja teria sido a pessoa responsável por atrair a vítima para o local da emboscada.

Outras prisões

Gilberto Ulisses dos Santos, vulgo “Pastor”, 27 anos, acusado de assassinar com disparos de armas de fogo Beatriz Martins dos Santos Alcantâra, em maio deste ano. Segundo a polícia a motivação do crime teria sido guerras entre facções.

Jorge Anderson da Silva Pimentel, vulgo “Dodi”, de 21 anos e Josenildo Barbosa da Silva, de 24 anos, foram presos no dia 13 de dezembro, suspeitos de envolvimento no assassinato de Isac Araújo Tavares, em abril desse ano. Isac foi esquartejado na Grota da Alegria, no bairro do Benedito Bentes, por envolvimento com a guerra de facções que atuam no bairro.

Diego dos Santos Monteiro, 27 anos e Anderson José dos Santos, vulgo “Andinho”, 25 anos, foram presos acusados de assassinar com disparos de arma de fogo, Jonata Guedes de Lima, de 35 anos, no Bairro do Benedito Bentes, em agosto deste ano. A vítima foi assassinada por estar em dívida com os traficantes da região.

Henrique Leonardo dos Santos Filho, vulgo “Leo”, 22 anos, foi preso acusado de assassinar por meio de disparos de arma de fogo, Anderson Cavalcante de Lima, em agosto deste ano, no bairro do Benedito Bentes. A motivação do crime foi à rivalidade entre as facções que comandam o tráfico de drogas.

Djevan José dos Santos Silva, vulgo “Dija”, 24 anos, foi preso no dia por ter confessado o homicídio de José Salviano Souza da Silva, que foi espancado até a morte, na frente de casa, no bairro do Clima Bom, em fevereiro deste ano, por ter supostamente furtado um passarinho.

Carlos William Ferreira de Lima, vulgo “Rock”, 29 anos, foi preso acusado de ter participado do assassinato de Cleiton da Silva Mota e Alisson Magdyel Oliveira de Albuquerque, que foram mortos em agosto deste ano, por disputarem pontos de vendas de drogas.

Vicente da Rocha Silva, de 34 anos, foi preso suspeito de matar a pauladas, José Roberto dos Santos, no dia 21 deste mês, após uma discussão em um bar, no bairro do Clima Bom.

Erenilson Silva Firmino, vulgo “Eri”, 22 anos, foi preso acusado de matar com disparos de armas de fogo, João Vítor Nunes dos Santos, de 18 anos, por disputa de facções rivais, no bairro do Jacintinho

Ademilton Pedro da Silva, 36 anos, foi preso suspeito de participar do assassinato de Caique Jonas Azevedo dos Santos, por disparos de arma de fogo, no dia 23 deste mês, no bairro do Tabuleiro dos Martins. A vítima que era jogador de sinuca profissional teria sido morta por recusar receber dinheiro do suspeito que era seu patrocinador.

Ronald Cardoso dos Santos, 21 anos, foi preso acusado de estar envolvido na morte de Filipe dos Santos Silva Souza, em janeiro deste ano, no bairro do Tabuleiro dos Martins. O motivo do crime foi à disputa pelo tráfico de drogas na região.

Para o Secretário de Segurança Pública, coronel Lima Júnior, “essas prisões reforçam a proposta da Segurança Pública, de não ter impunidade para quem pratica crimes no Estado”.

*Estagiária