Foto: Natália Cerqueira 09d047c1 73da 41b1 9d96 1f2d2f8afa00

Em coletiva à imprensa realizada na tarde desta terça-feira, 26, na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP) a Polícia Civil informou que o ex-prefeito de Palestina, Júnior Alcântara seria o responsável pela morte do caseiro Zenóbio Gomes Feitosa, ocorrida na Fazenda do prefeito. A morte teria sido para encobrir o desaparecimento de documentos que incriminavam o Júnior em desvios praticados à frente da municipalidade.

A polícia revelou ainda que o vereador Luciano Lucena, preso nesta sexta-feira, 22, junto com Júnior seria o autor intelectual do crime.

No dia 21 de maio, uma semana antes da morte do caseiro, houve uma reunião entre Júnior Alcântara e correligionários onde o então prefeito disse que havia descoberto irregularidades praticadas pela antiga gestão e os documentos estariam em uma propriedade sua. “Tudo indica que esse encontro foi organizado para servir de álibi”, destacou o delegado.

O assassinato

No dia do assassinato, Zenóbio teria sido abordado por José Edilson Pinheiro, conhecido como Sula, dizendo que teria ido buscar uma documentação em seguida foi levado por homens encapuzados, informou o coordenador da Divisão Especial de Investigação e Captura (Deic), delegado Mário Jorge.

O suposto assaltou teria sido armado para justificar o desaparecimento dos documentos o que impossibilitaria a investigação, disse o delegado, afirmando ainda que o caseiro estaria sendo usado como “laranja” de Alcântara.

Outro ponto de investigação que chamou a atenção da polícia foi a contradição dos depoimentos e a realização de um Boletim de Ocorrência, realizado quase um ano antes do crime, por Luciano Lucena com informações semelhantes às acontecidas no dia da morte do caseiro.

O vereador Luciano Lucena, segundo a polícia “è considerado um homem violento, usa tornozeleira eletrônica e é acusado de foi homicídios, com pena de mais 15 anos”.

Também foram presos Daniel da Silva Carvalho, José Edison Pinheiro da Silva e Thiago Correia de Brito.

As prisões

O ex-prefeito da cidade de Palestina Junior Alcântara, preso na noite da sexta-feira (22) em uma operação policial, sob a acusação do homicídio do caseiro José Arnóbio Feitosa, conhecido com “Abel”, assassinado em maio deste ano em Jacaré dos Homens. A vítima trabalhou para o ex-prefeito por 15 anos.

Segundo testemunha, o autor material do crime foi preso e informou que os mandantes do assassinato teriam sido o ex-prefeito e o vereador Luciano Lucena, também detido durante a operação.

Entenda o caso

O agricultor Zenobio Gomes Feitosa, de 60 anos, teria sido sequestrado na fazenda do ex-prefeito de Palestina Júnior Alcântara. Ele  foi encontrado morto em maio deste ano,  no município Jacaré dos Homens, no Sertão de Alagoas.

O caseiro teria sido assassinado a pauladas e jogado em uma ribanceira próximo ao lixo.

*Estagiária

Confira o vídeo da entrevista