Abf35b14 dc25 45df 8840 4fb5d79c32e1

Entrei para o mundo das drogas aos  12 anos de idade, e por conta disso larguei os estudos e  ballet na academia de ballet Maria Emília Clark. Eu era um dos bailarinos de destaque.  

Eu só fumava maconha, até um dia que uns amigos da escola me  apresentaram o crack,  a pedra maldita, a pedra da perdição. Assim que fumei a primeira não quis para mais. Perdi o  real domínio do meu governo Não quis mais saber de estudar. Comecei a roubar em casa, levando tudo da minha mãe, até chegar o ponto da minha mãe abandonar a casa, porque eu já tinha vendido tudo.  Aos 13 anos de idade  fui para rua me prostituir para comprar drogas.

Sai de casa para morar nas ruas de Maceió. Comecei a me prostituir. Levei quase a metade da vida nesta situação vulnerável, por conta das drogas. Eu  achava que não tinha mais saída pra minha vida , até que conheci um programa de saúde que se chamava “Fique de Boa” e que hoje se chama “Consultório na Rua”

Foi  partir do programa que conheci o CAPS  e lá que começou a aparecer as minhas esperanças. Levou tempo, mas, as mudanças aconteceram, abandonei as drogas e hoje sou Coordenador da População de Rua de Alagoas.

Eu sou um sobrevivente e quero poder ajudar outras pessoas, e, é por isso que vou começar a escrever  minhas experiências e dos moradores de rua nesse blog: É Nóis, no PaPo Reto.

Espero que gostem!