André Pepes 3f363bbc f46d 411c a503 7563b61c9098 Tainá diz que sofre perseguição de Renan Filho

A pavimentação da estrada vicinal que liga o povoado de Mata Limpa a rodovia AL 115, no município de Lagoa da Canoa, no agreste alagoano, corre o risco de não sair do papel por conta de um discussão política sobre a execução da obra.

O governo de Alagoas não permite que o serviço seja realizado pela prefeitura, segundo a chefe do executivo Tainá Veiga (PP). A ordem de serviço para início das obras da pavimentação asfáltica foi assinada no último dia 14 de Novembro, mas está impedida de começar por conta de uma liminar.
  
Na manhã desta terça-feira (19) a prefeita concedeu entrevista ao radialista Paulo Marcelo Tavares, na Rádio Novo Nordeste, e contou que Lagoa da Canoa está recebendo cerca de R$ 4 milhões em investimentos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para as obras da pavimentação asfáltica dos 6,7 quilômetros do trecho, mas que o governador Renan Filho (PMDB) teria dito que o serviço será realizado pelo Estado e não pela prefeitura. 

Perseguição

“Eu estive no gabinete do governador e ele me pediu para abrir mão desta obra, porque ela já estaria inserida no programa Pró Estrada e que é o Estado que vai pavimentar este trecho, uma de suas promessas de campanha. Renan disse ainda que se eu insistisse em tocar a obra ela seria embargada por não ter a liberação do Instituto do Meio Ambiente (IMA)”, denunciou a prefeita ao que chamou de perseguição política.  

Tainá chegou a comemorar, no início de Novembro, a chegada dos investimentos para execução da obra garantidos com repasse do governo federal por meio da interferência do deputado federal Arthur Lira (PP) e do senador Benedito de Lira (PP). Ela lembra que esse é um sonho de décadas dos moradores de Mata Limpa, o maior povoado do município, e que este trecho beneficia também outras comunidades. 

Não abre mão

A prefeita disse ainda que não vai abrir mão de executar esta obra, já que os recursos já estão disponibilizados e os trâmites burocráticos, como o processo de licitação, já estão finalizados. Tainá pede que o governo do Estado seja parceiro na execução desta obra com os serviços de sinalização horizontal e vertical, iluminação no perímetro urbano e até mesmo com a construção de uma ciclovia. 

“Os trabalhos ainda não foram iniciados por conta de uma liminar e a população de Lagoa da Canoa não pode ser prejudicada por um capricho do governador em querer fazer esta mesma obra que ainda nem foi licitada. Quem ganha não sou eu ou o governador, é o canoense, que após a conclusão da obra poderá transitar com maior segurança”, destacou.