Foto: Reprodução / Internet 9a42b925 e203 47f4 a114 2678a4e87145 Paulo Dantas, ex-prefeito do município de Batalha.

O ex-prefeito Paulo Dantas e a atual prefeita de Batalha, Marina Dantas, conclamaram o governador, o secretário de segurança pública, o Ministério Público e as demais autoridades do Estado, a juntar as forças para ajudar o município e solucionar o clima de pânico que tomou a cidade após a morte de dois vereadores em 40 dias.

 

Horas após o vereador Tony Pretinho ser assassinado em frente a sua casa, o ex-prefeito Paulo Dantas, filho do presidente da Assembléia Legislativa de Alagoas, Luis Dantas, foi ouvido pela reportagem do Cadaminuto, e relatou o clima de caos que tomou conta de Batalha após os últimos episódios violentos que tomaram conta da cidade.

 

Paulo Dantas disse à reportagem que Tony Pretinho, era aliado da prefeita Marina Dantas, sua esposa, e que participou da campanha do jovem vereador, de 34 anos que estava em seu segundo mandato.

 

“Tony Pretinho, sempre foi um aliado nosso, e estivemos juntos em todas as suas campanhas em Batalha e Belo Monte. Estamos aqui no município e ficamos arrasados com o assassinato de Tony, ligamos imediatamente para o secretário de segurança pública, para o governador e para o chefe do Ministério Público, alguma coisa precisa feita para solucionar estes crimes, a situação no município está insustentável” explicou Paulo Dantas.

 

O ex-prefeito relatou que até a madrugada de hoje não tinha conseguido falar com o governador, nem com o chefe do Ministério Público, mas que se comunicou com o secretário de segurança, Coronel Lima Junior, e que este teria se comprometido a colocar toda a equipe de inteligência da polícia, para ajudar na solução deste crime.

 

“O secretário foi bastante solícito, disse que iria disponibilizar toda a equipe de inteligência da polícia, e que o Estado vai se empenhar ao máximo para solucionar estes crimes, que estão deixando o município de Batalha em um clima de tensão e insegurança” explicou Paulo Dantas.

 

 

Quem era Tony Pretinho

 

Tony Carlos Silva Medeiros, o Tony Pretinho, tinha 34 anos. De acordo com as primeiras informações passadas por testemunhas, ele foi alvejado com disparos de arma de fogo em frete a casa onde morava, no Centro da cidade.

Ainda segundo testemunhas, o vereador também trabalhava como agente penitenciário, no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, e era compadre de Baixinho Boiadeiro, filho de Neguinho Boiadeiro que está foragido - desde o dia da morte do pai- acusado de tentar matar José Emílio Dantas.

O vereador morto era aliado da prefeita Marina Dantas, e passou por uma tragédia recente, quando tinha perdido seu pai, em um acidente de moto.

Tony Pretinho era natural do município de Arapiraca e foi eleito vereador por Batalha, pelo Partido da República (PR), nas eleições de 2016.Este é o segundo vereador morto em um pouco mais de um mês na cidade.

No dia 09 de novembro o também vereador Adelmo Rodrigues de Melo, o Neguinho Boiadeiro, foi assassinado a tiros quando saia da Câmara Municipal, e o clima ficou tenso na cidade que teve a segurança reforçada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado.

O Instituto Médico Legal (IML) e o Instituto de Criminalística (IM) são aguardados em Batalha, para realizar os procedimentos cabíveis e conduzir o corpo para perícia.