6d4d8f94 f7ff 4961 913f 7a75606615e5

A afirmação feita por procuradores da força-tarefa da Lava Jato de que 2018 será a batalha final da operação foi o estopim para um pequeno e ácido debate entre o senador Renan Calheiros (PMDB) e o procurador Deltan Dallagnol, no Twitter.

Em post publicado no dia 27, depois que os procuradores se reuniram no Rio, o senador escreveu: “A declaração de que ‘a batalha final será em 2018’ confirma que muitas investigações são políticas, sem provas, com delações encomendadas e objetivos pré-determinados. Daí os arquivamentos”.

Dallagnol respondeu no próprio post de Calheiros: “Está errado, senador. A declaração de que 2018 é a batalha final da #LavaJato confirma que lideranças políticas corruptas são incapazes de fazer reformas anticorrupção, que precisam perder foro para ser responsabilizados e que continuam a ameaçar a Lava Jato”.

A tréplica do senador veio em seguida: “Está errado, procurador! Já temos uma legislação avançada contra a corrupção, tiramos o Ministério Público do papel. O que precisamos é evitar abusos e generalizações. Afinal, a natureza humana é diversa. Dallagnol talvez não seja igual a Janot ou a Miller...”.

Ainda bem que a rede social dobrou o limite de caracteres.