Foto: Bruno Levy/CadaMinuto B793e492 9782 4aee 8670 797e56a0264b Bloco Pinto da Madrugada passeia pela orla de Maceió

Tradições são para serem mantidas e preservadas. Depois de passar por dificuldades financeiras que inviabilizaram o desfile este ano, o bloco Pinto da Madrugada anunciou o retorno em 2018.

Os detalhes serão anunciados durante coletiva de imprensa na próxima sexta-feira (01), às 08 horas, no Hotel Ponta Verde. Sob nova direção, a diretoria do bloco irá anunciar novidades e garantir a realização de outras festas.

Quem colocará o bloco na rua em 2018 serão os herdeiros do bloco, filhos dos fundadores do Pinto: Braga Lyra, Eduardo Lyra, Marcos Davi e Marcial Lima.

Criado em 1999, o Pinto da Madrugada tem o propósito de resgatar a cultura alagoana através do frevo, marchinhas e dos tradicionais carnavais de rua. No primeiro ano, com apenas uma orquestra, saiu com cinco mil foliões. Nas últimas edições já fazia parte dos eventos mais esperados de Maceió e reunia mais de 200 mil pessoas entre Pajuçara e Ponta Verde. O bloco se tornou tão importante que em 2011 recebeu o título de Patrimônio Imaterial da Cultura Alagoana.

“O Pinto da Madrugada chegou à sua maioridade e precisava de um descanso. Agora, com 18 anos, está pronto para retornar às ruas de Maceió, trazendo orquestras de frevo de todo o Estado, fortalecendo nosso pré-carnaval e nossa cultura popular. É um bloco aberto e democrático, onde toda a família participa, das crianças aos mais idosos, muitos fantasiados, e é isso que é bonito de ver”, destacou Hermann Braga, um dos novos diretores do bloco.

Segundo a organização do bloco, festas do Pinto da Madrugada, como Munguzá e o Pintinho, estão garantidas. “O Pinto é uma festa da população. Embora seja preciso a colaboração de todos, cada esfera com suas responsabilidades, estamos trabalhando para que o cidadão tome cada vez mais posse deste evento que traduz tão bem a alegria da nossa Alagoas”, finalizou Hermann.