Ilustração 64d14310 59b7 47b5 8572 02a78eb9e57c Resultado é inferior a média nacional de 54,6%

Dados de uma pesquisa realizada pelo projeto POP-Brasil-Estudo Epidemiológico mostram que Maceió tem a prevalência de 45% no quadro de papilomavírus humano, o HPV. Resultado demonstra que número é menor dentre todas as capitais avaliadas.

O estudo do Ministério da Saúde ainda revela que a média nacional é de 54,6%. Maceió só perde para Recife, que tem a prevalência de 41,2%. Já Brasília apresentou a maior porcentagem, com 71,9%.

No total, foram entrevistadas 7.586 pessoas em 26 capitais. Entre os entrevistados, 2.669 foram analisadas para tipagem de HPV. 38,4 % destes participantes apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

A pesquisa faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS) e será lançado no encontro "Estudo POP-Brasil: resultados e ações para o enfrentamento da infecção pelo HPV", na Universidade Federal de Ciências Sociais de Porto Alegre (UFCSPA), no Rio Grande do Sul. 

O estudo indica ainda que 16,1% dos jovens tem uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) prévia ou apresentaram resultado positivo no teste rápido para HIV ou sífilis. Os dados finais deste projeto serão disponibilizados no relatório a ser apresentado ao Ministério da Saúde em abril de 2018.