Ascom ALE F15a6ca1 1d1a 4b6d ac6c f0a3c4608f8b

O encerramento do sinal analógico e a inclusão dos cidadãos alagoanos no processo transitório para a TV digital foram questões debatidas durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira, 27. Proposta pelo deputado Rodrigo Cunha (PSDB), a sessão especial, que teve como tema “O Sinal Digital e a necessidade de garantir a inclusão digital e social aos cidadãos alagoanos”, reuniu representantes das emissoras de televisão - privadas e pública - do Estado, para explicarem como está sendo realizada a mudança do sinal analógico para o digital, cujo prazo de encerramento, no Estado, é 30 de maio de 2018.

De acordo com eles, as emissoras estão promovendo grandes investimentos na adequação do parque tecnológico e em campanhas educativas, para que a implantação do novo sistema transcorra dentro do cronograma determinado pelo Ministério das Comunicações.

Além das emissoras de TVs do Estado, o deputado Rodrigo Cunha convidou representantes da Abratel (Associação Brasileira de Rádio e Televisão) para participar dos debates. A entidade encaminhou vídeo com apresentação de seu consultor técnico, o engenheiro André Felipe Trindade, explicando como se dará todo o processo de desligamento da televisão analógica em Alagoas.

Ao todo, 13 municípios alagoanos deverão ter o sinal analógico desligado: Atalaia, Barra de Santo Antonio, Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Maceió, Marechal Deodoro, Messias, Paripueira, Pilar, Rio Largo, Santa Luzia do Norte, São Miguel dos Campos e Satuba.

No entanto, a preocupação de Rodrigo Cunha é garantir que a população, principalmente a de baixa renda, tenha acesso ao serviço. “Sabemos que o prazo máximo para mudança do sinal é 30 de maio do próximo ano. As pessoas que não se adaptaram, adquirido um conversor ou uma televisão nesses moldes, podem ficar fora daquilo que é o maior meio de entretenimento das famílias, a televisão aberta”, disse Cunha. "A Casa tomou a iniciativa e assim cumpriu o seu papel, trabalhando não só na divulgação, mas também na fiscalização, acompanhando as emissoras e vendo se estão cumprindo o regulamento do Ministério das Comunicações, que dá prazo e formas para serem realizadas propagandas específicas para isso”, observou o parlamentar, se dizendo confiante nas emissoras, mas alertando as pessoas para que a população não fique à revelia. “O principal recado é para as pessoas de baixa renda, que têm direito a receber, de forma gratuita, o kit composto pelo transmissor, receptor e antena”, completou Rodrigo Cunha.

A audiência pública contou com a participação do diretor-presidente do Instituto Zumbi dos Palmares (IZP), Roberto Amorim; o Superintendente da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, Lairson Geisel; do gerente de Comunicação da TV Gazeta de Alagoas, Eduardo Carvalho; do diretor Executivo da TV Pajuçara, Leonardo Sampaio; e do gerente de Operações da TV Ponta Verde, Deninho Ferreira.