09713dae 1137 4899 ab32 7d8661802e14

O Colégio Santa Úrsula, em parceria inédita com o curso de Publicidade da UniNassau e a Livraria Leitura, oportunizará uma ação que fomenta o desenvolvimento intelectual e a solidariedade dos alunos envolvidos através da história de August Pullman, protagonista do livro Extraordinário, nos dias 25 de novembro, 09 e 18 de dezembro, envolvendo também os alunos da Escola Estadual Geraldo Melo, localizada no Graciliano Ramos.

A ação solidária contará com o Encontro Extraordinário no dia 25\11, na Livraria Leitura, onde os alunos e demais leitores trocarão experiências e discutirão o livro que levanta o debate sobre bullying, exclusão social, rejeição, diferenças. Já a segunda etapa será a Sessão Extraordinária e ápice da ação: alunos do CSU convidaram os alunos da Escola Geraldo Melo, que também estão debatendo o livro em sala de aula, para uma sessão de cinema exclusiva no dia 09 de dezembro onde se conhecerão, trocarão experiências e participarão juntos de atividades lúdicas e de socialização. O encontro no cinema culmina com a exibição do filme homônimo para todos os alunos envolvidos.

A terceira etapa acontecerá no dia 18 de dezembro, mas terá início ainda na Sessão Extraordinária: os alunos anfitriões doarão brinquedos educativos para instituições que abrigam crianças. Os itens arrecadados serão entregues em instituições previamente definidas através dos alunos de Publicidade UniNassau, então responsáveis pela concepção e operacionalização do Projeto Extraordinário, incluindo sua identidade visual.

O start desse projeto será dado hoje, 14 de novembro, durante um encontro entre alunos da UniNassau e alunos do CSU, que visa tornar a experiência ainda mais proveitosa.

Segundo a professora Maira Veras, o projeto foi uma forma de unir duas ideias as quais o Colégio sempre trabalha: o desenvolvimento dos alunos por meio da leitura e o incentivo à solidariedade com o próximo. "Acreditamos que, com esse projeto, vamos priorizar as relações entre os alunos, de diferentes realidades sociais. Mas o principal é que, com isso, eles tenham a percepção de que é possível conviver com as diferenças, sejam elas físicas, de personalidade ou de realidade. Cada um é especial ao seu modo.", disse ela.