Foto: Cortesia 03ca75c3 d103 4909 8454 4efc21a7c76a Material apreendido

Um detento foi flagrado por agentes penitenciários com 17 celulares prontos para serem entregues a outros reeducandos, dentro do presídio Baldomero Cavalcante, no Complexo Penitenciário, em Maceió.

Segundo informações do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindapen-AL), os celulares estavam escondidos dentro de sacolas que continham alimentos para os presos. O material já tinha passado por uma revista, mas no momento em que as sacolas seriam entregues, os agentes estranharam o volume e os aparelhos foram encontrados.

O detento, suspeito de ter colocado os celulares nas sacolas, auxilia nos serviços administrativos do presídio e afirmou ter tido ajuda de um agente penitenciário, que estaria facilitando a entrada e entrega do material.

Além dos celulares, foram encontrados também isqueiros, talheres, carregadores, pen drives, quatro caixinhas de som, cartas de baralho e soro nasal.

O reeducando e o agente, suspeito de participar da ação, foram levados para Central de Flagrantes II, no bairro de Mangabeiras.

O Sindapen emitiu uma nota, onde se posiciona a respeito do caso. Um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) já foi aberto e irá investigar o envolvimento do agente penitenciário.

Confira a nota do Sindapen, na íntegra, abaixo:

"A diretoria do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas – SINDAPEN, em face ao episódio envolvendo um agente penitenciário, expõe que o caso merece todo o cuidado quanto a sua divulgação, reforçando que tudo ainda está sendo investigado.

As investigações tiveram início nesta quinta-feira, 9, pelos próprios agentes penitenciários que desconfiaram de uma feira que já tinha sido revistada por outros agentes de plantão. Em uma nova revista foi constatado material proibido para acesso aos presídios.

Após analisar as imagens das câmeras de segurança, há uma suspeita de que algum servidor tenha participado de tal ato ilícito. O suspeito foi encaminhado a Central de Flagrantes, da Polícia Civil (PC) a fim de que se comece uma investigação mais criteriosa e legal, para que tudo seja esclarecido.

Por fim, o SINDAPEN vem manifestar seu repúdio a qualquer ato ilícito, seja praticado por servidor ou não. E caso seja comprovado culpa do servidor, lamentamos e exigimos que o rigor da lei seja cumprido.

A Diretoria"