Foto: Arquivo / Cada Minuto E223ac1e aada 4cea a4b2 dca45e5604f6 Tribunal de Justiça

O réu Edinaldo Merêncio da Silva, acusado de matar a esposa Patrícia Cardoso Neta asfixiada com um cadarço de tênis, foi condenado a 22 anos e oito meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, após julgamento por júri popular nesta quinta-feira, 09. Do total da pena do réu, 21 anos se referem ao crime de homicídio e um ano e oito meses por ocultação de cadáver.

De acordo com a denúncia, Edinaldo teria chegado em casa bêbado e drogado, quando o casal iniciou uma discussão. Durante a briga, o réu teria utilizado um cadarço de tênis para asfixiar e matar a esposa. Após o homicídio, Edinaldo teria ainda escondido o corpo no interior de uma fossa no quintal da casa.

O crime aconteceu no dia 4 de abril de 2013, por volta de 1h, no bairro Feitosa, e teria sido motivado pelas reclamações da esposa pelo fato de o réu ter passado o dia bebendo.

A sessão foi conduzida pelo juiz John Silas da Silva.

*Com Ascom TJ/AL