1b9d09e9 df0c 4c19 98b5 a45be87d7bda Patrícia Cardoso Netta

Edinaldo Merêncio da Silva, acusado de matar asfixiada com um cadarço de tênis a esposa Patrícia Cardoso Netta, em abril de 2013, será levado a júri popular pela 8ª Vara Criminal nesta quinta-feira (9), às 13h, no Fórum da Capital. O julgamento será conduzido pelo juiz John Silas da Silva.

De acordo com informações da assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça (TJ), conforme a denúncia, Edinaldo teria chegado em casa bêbado e drogado quando começou a discutir com a vítima. Durante a briga, o acusado teria utilizado um cadarço de tênis para matar e estrangular a esposa.

Edinaldo contou que, depois de Patrícia ter caído desacordada no chão, retornou ao bar para continuar consumindo drogas e álcool e, quando voltou para sua residência, decidiu quebrar a tampa da fossa, no quintal do imóvel, e jogar o corpo da esposa.

Com o mau cheiro provocado pela decomposição do corpo, ele relatou que resolveu tapar a fossa com alvenaria e, temendo que os vizinhos descobrissem o crime, uma vez que já haviam notado a ausência da vítima, decidiu entregar-se à polícia.

O caso

O crime aconteceu no dia 4 de abril de 2013, por volta das 1h, na rua Pau D'arco, no bairro do Feitosa, e teria sido motivado pelas reclamações da esposa pelo réu ter passado o dia bebendo.

Mês do júri

O julgamento faz parte da programação do Mês Nacional do Júri, no qual serão julgados 133 processos ao longo de novembro, nas unidades da Capital e do interior do estado. A ação é promovida anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

*Com Ascom - TJ

*estagiária