Divulgação B8a71893 41b1 465c b5d1 405312c8613b Concurso Público

A Universidade Federal de Alagoas (UFAL), o TRT 19ª Região, o Ministério Público de Alagoas (MPE/AL), o Tribunal de Justiça de Alagoas, a Prefeitura de Maceió – Copeve e o IFAL estão na lista dos concursos com suspeita de fraude por investigados na Operação Gabarito. De acordo com o delegado de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa, Lucas Sá, Alagoas é um dos estados com mais concursos fraudados.

A ação desarticulou uma organização criminosa tratada como "empresa" pelos mais de 82 suspeitos envolvidos, sendo 31 já presos pela polícia. O grupo fraudou concursos em pelo menos 15 estados, aprovou mais de 500 pessoas e movimentou R$ 29 milhões em 12 anos de atuação.

De acordo com o delegado, os irmãos Borges – que são militares de Alagoas-, são apontados como os líderes das empresas. Lucas Sá disse que um dos 29 concursos que os dois tinham sido aprovados de maneira fraudulenta tornava ainda mais grave a ameaça feita aos clientes caso os fraudadores fossem dedurados.

O delegado também disse que já foi identificada outra organização criminosa anexa à da Paraíba, dos irmãos Borges. “Há uma célula em Pernambuco que nós acreditamos que seja até maior que a da Paraíba”, confirmou Lucas Sá.

Ele disse que os irmãos também já tinham uma ramificação em Alagoas, “afinal um dos líderes era secretário-adjunto de uma cidade lá. Sempre que ele ia para lá se encontrava com os outros criminosos, tanto é que Paraíba, Pernambuco e Alagoas são os estados com mais concursos fraudados”, relatou.

De acordo com o balanço parcial da quarta fase da operação que foi deflagrada há seis meses e prendeu 31 pessoas, o número de concursos que teriam sido fraudados subiu de 82 para 98 em todo o país.

*com G1