O réu Geovane Faustino da Silva foi condenado a 12 anos de reclusão pela morte de Josevan Tertuliano Paulino, ocorrida em outubro de 2011, no bairro Serraria, em Maceió. A sessão de julgamento ocorreu nessa segunda-feira (6), no Fórum da Capital, e fez parte da programação do Mês Nacional do Júri.

Os jurados acataram em parte a tese da acusação e condenaram o réu por homicídio qualificado. A pena deverá ser cumprida em regime inicialmente fechado. O juiz John Silas da Silva, que conduziu o julgamento, concedeu a Geovane o direito de apelar em liberdade.

“O réu permaneceu solto durante o curso do processo, sem gerar qualquer óbice ao seu andamento”, afirmou o magistrado, que é titular da 8ª Vara Criminal de Maceió.

O caso

O crime ocorreu em 14 de outubro de 2011, nas imediações do Condomínio San Nicolas, na Serraria. De acordo com a denúncia do Ministério Público de Alagoas (MP/AL), Geovane Faustino foi o responsável por efetuar os disparos contra Josevan Tertuliano, que não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Ainda segundo o MP/AL, o homicídio foi planejado por outro acusado, Luiz Augusto Viana de Moura, com quem a vítima mantinha relacionamento. O motivo do crime teria sido uma suposta traição de Josevan.