912a0036 6fe0 49a8 b51f 123310bb8cdd
A enfermeira Rayra Mendes da Rocha Pimentel, irá representar o Estado de Alagoas nos Congressos Nacional e Internacional de Enfermagem Obstétrica e Neonatal, em Campo Grande/MS, entre os dias, 01 e 05 de novembro. Rayra apresentará por intermédio do curso de especialização em Enfermagem Obstétrica e Neonatal da Universidade Federal de Minas Gerais com polo na UFAL, a Importância da Atuação da Enfermagem na mudança do paradigma assistencial em Obstetrícia no Centro de Parto Normal da Unidade Mista Dr. Arthur Camelo Véras, na qual desempenha suas atividades profissionais.
 
A Unidade Mista Dr. Arthur Camelo Vérasmantidacom recursos do município de São José da Laje/AL, conta com um Centro de Parto normal, climatizado entre as salas de pré-parto e pós-parto, equipado com materiais e equipamentos que são preconizados pela rede cegonha, como as camas PPPs, berçário aquecido, incubadora neonatal, além da incubadora de transporte que são fundamentais para assistência ao recém-nascido. Mensalmente, cerca de 15 (quinze) partos acontecem no Hospital em São José da Laje. No momento da alta, as mamães são orientadas pela equipe de enfermagem, sobre os cuidados domiciliares com o bebê e com a mamãe, relativos à alimentação, higiene, vacinação, teste do pezinho, até uma consulta médica-pediátrica já sai agendada pela Unidade de Saúde. 
 
Segundo a Secretária de Saúde, a maternidade disponhe de bola Suiça e espaldar, na realização deexercícios com as parturientes permitindo a aplicação de métodos não farmacológicos de alívio de dor. “São 06 enfermeiros plantonistas, uma equipe com 05 técnicos de enfermagem fixos na maternidade, durante a realização da assistência ao parto desde a admissão até a alta da parturientese necessário são realizados exames laboratoriais na própria Unidade, mas os testes rápidos de HIV e Sífilis, que são fundamentais na prevenção de transmissão vertical foi uma conquista recente, e são realizados obrigatoriamente de rotina”, falou Ângela Vanessa.
 
Para Rayra Mendes, as modificações na estrutura do prontuário, implementando a avaliação obstétrica pelo enfermeiro assistente, o acolhimento com classificação de risco, a utilização do partograma no acompanhamento do trabalho de parto e pós-parto, além dos recursos não farmacológicos, somados ao exame físico e do relatório de alta, fizeram com que a maternidade do Hospital Municipal aumentasse a taxa de natalidade, como também qualificou o cuidado baseado na humanização da assistência prestando cuidado de forma holística e integral, centrado nas necessidades da paciente, como também um cuidado baseado em evidências com todas as recomendações do Ministério da Saúde e da Rede Cegonha. “É um verdadeiro sonho para mim enquanto profissional de enfermagem, e para minha cidade, que com os resultados diminuímos em 40% os encaminhamentos para as maternidades da região, e consequentemente proliferamos o número de partos em São José da Laje”, disse entusiasmada a Enfermeira Obstétrica.